twitter

Romagem ao S. Brás atrai milhares de devotos ao longo do fim de semana

Romagem ao S. Brás atrai milhares de devotos ao longo do fim de semana
Fotografia

Publicado em 04 de fevereiro de 2023, às 11:21

Igreja Matriz de Gualtar é local de devoção e ponto de encontro de gerações e de fiéis provenientes de todo o concelho.

AFesta em Honra de S. Brás, em Gualtar, vive, este fim de semana, o ponto mais alto da tradição com a romagem dos devotos, que se deslocam à Igreja Matriz de Gualtar para invocar a proteção do Santo Protetor da Garganta. Este ano, o sol radioso e a ausência de restrições sanitárias, que vigoraram nos anos anteriores, têm permitido registar uma verdadeira enchente de pessoas de todas as idades.

O pároco de Gualtar, cónego Avelino Amorim, disse ao Diário do Minho que a Festa de S. Brás se distingue precisamente por esta vertente de romagem e de devoção ao santo protetor, acrescentando que é a fé que leva as pessoas ao templo, sendo isso mesmo que é característico de uma romaria e que distingue este tipo de celebrações de outras aos Santos.

«Esta celebração, é, por excelência, uma peregrinação dos devotos que passam e fazem a romagem, para agradecer e pedir a S. Brás a sua intercessão, originando um movimento constante, embora não se tratem de grupos numerosos», explicou, acrescentando que «as demais celebrações decorrem na Igreja Nova, por ser um espaço bastante mais amplo, mas a Igreja Matriz é o grande lugar de devoção e o altar de referência ao Santo, e por isso mesmo é frequentemente chamada pelo povo de de Igreja de S. Brás, sendo muito mais propícia e acolhedora para a romaria, com o seu grande largo», onde ficam instaladas as doceiras e a animação.

O sacerdote enalteceu ainda a beleza e a história da Igreja Matriz, com todo o seu significado, e o facto de se tratar do lugar sede da própria Confraria de S. Brás.

Vincou ainda que estas festividades constituem uma oportunidade de comunhão não apenas para os habitantes de Gualtar, mas para restantes freguesias em redor.

«Mesmo na novena introdutória, nos nove dias de janeiro, há bastantes pessoas de outras freguesias a participar e, durante o fim de semana, os romeiros vêm de todo o concelho e não só», afirmou, realçando igualmente a dimensão intergeracional que a festa assume, juntando, além dos residentes, as crianças e os seniores do Centro Social da Paróquia de Gualtar e os seniores do Centro Social de Adaúfe e do Felizmente Lar.

A diretora pedagógica do Jardim de Infância de Gualtar, Margarida Ribeiro, revelou que, ontem, foi dia de cumprir a tradição, levando à Igreja cerca de sete dezenas de meninos, que foram a pé pedir a proteção de S. Brás.

«Costumamos vir todos os anos porque consideramos muito importante que as nossas crianças vivam as tradições da comunidade», disse, acrescentando que «depois da romagem ao Santo, é costume os meninos levarem os doces para comer ao lanche».


Autor: Carla Esteves