twitter

Cemitério de Adaúfe ampliado em 98 campas num investimento de mais de 300 mil euros

Cemitério de Adaúfe ampliado em 98 campas num investimento de mais de 300 mil euros
Fotografia

Publicado em 25 de outubro de 2022, às 09:34

O projeto resultou na construção de mais 98 sepulturas e 60 ossários, um aumento na ordem dos 10%.

Foram, ontem, inauguradas as obras de ampliação do Cemitério de Adaúfe, um projeto que resultou na construção de mais 98 sepulturas e 60 ossários, um aumento na ordem dos 10%, que visa dar resposta à lotação da parte mais antiga do cemitério.

As obras de ampliação foram, ontem, inauguradas, pelo presidente da Câmara de Braga, que revelou que a concretização deste projeto tão ansiado pela população da freguesia, representou um investimento de 300 mil euros por parte do Município.

Ricardo Rio salientou que o novo projeto garantiu ainda um espaço esteticamente mais aprazível, mais funcional, que pretende servir a população, uma vez que os cemitérios são, frequentemente, lugares de encontro dos habitantes das freguesias.

«Trata-se de um projecto há muito ansiado pela população e fundamental para a freguesia de Adaúfe, cujo cemitério original atingiu o limite da capacidade de acolhimento. Normalmente este tipo de investimento não é muito valorizado, mas é crucial para o espírito de comunidade e neste projecto houve a preocupação de tornar este espaço mais aprazível e com uma arquitectura contemporânea, com uma dimensão de fruição enquanto parque verde», afirmou o presidente da Câmara.

O autarca bracarense salientou que «este é um daqueles investimentos que muitas vezes não é valorizado, mas que é crucial para o espírito de comunidade», e elogiou a preocupação que houve de criar infraestruturas para ossários e columbários, para evitar o recurso a outros cemitérios.

Falta de espaço

O presidente da Junta de Freguesia de Adaúfe, Abel Gomes, esclareceu que «esta foi uma obra herdada do anterior executivo» em que a autarquia local trabalhou com a Câmara e com os técnico para conseguir concluir as obras atempadamente devido aos problemas de falta de espaço».

Abel Gomes explicouque há muitas pessoas que partiram, mas que querem regressar à sua freguesia de origem, uma questão que tem afetado o espaço no cemitério.

«No antigo espaço já não há campas disponíveis e hoje foi usada a última campa, pelo que, amanhã, caso seja necessário, já temos que usar o cemitério novo», vincou o presidente da Junta de Adaúfe.


Autor: Carla Esteves