twitter

Associação Comercial de Braga é a mais dinâmica aos 154 anos

Associação Comercial de Braga é a mais dinâmica aos 154 anos
Fotografia

Publicado em 26 de maio de 2017, às 22:58

Associação Comercial distinguiu ontem 128 sócios com 10, 25, 50, 75 e 100 anos

A ACB foi fundada em 1863 e é desde há muitos anos uma associação que atua junto dos empresários e empresas de múltiplos setores numa área geográfica constituída pelos concelhos de Amares, Braga, Terras de Bouro, Vila Verde, Póvoa de Lanhoso e Vieira do Minho.

«Hoje, podemos contar com mil associados com as quotas escrupulosamente pagas», revelou Rui Marques ao DM, apontando que é com este universo que a ACB trabalha em primeira instância, sendo que abre os seus serviços a todos os interessados.

Atualmente e mais do que no passado, a ACB exerce um papel de apoio e estímulo aos empresários e aos seus negócios, não se limitando apenas a um papel de representação corporativa, esclarece o diretor-geral.

Mudanças

Falando à margem do programa comemorativo e interpelado pelo DM, Rui Marques aponta que, no mundo da economia, «as necessidades e expetativas têm mudado», surgindo também «outros atores» que oferecem um cardápio de serviços similares aos da ACB. Isso obrigou e continua a obrigar a associação a adequar-se aos seus associados, pelo que o segredo é «manter-se o mais próxima e parceira dos empresários e das empresas», asseverou.

É no comércio e serviços que a ACB exerce a sua ação e, desde 2005, o âmbito de influência da instituição foi alargado, pelo que lhe é permitido acolher associados radicados em qualquer local do país e mesmo no estrangeiro, desde que exerçam uma atividade de natureza empresarial conexa com a sua missão.

«Hoje não é suficiente apenas informar explicar aos associados o que vai surgindo de nova legislação», refere Rui Marques. «A ACB está apostada na qualificação dos recursos humanos, dos empresários e dos seus negócios», salientou o diretor-geral. 

Ganhar escala

O dirigente refere que, atualmente, «os associados esperam da ACB um papel de elemento aglutinador que lhes permita ganhar escala e visibilidade suficientes para que possam aceder a negócios de maior dimensão e ganhos».

«Trata-se de poder aparecer no “radar” dos negócios», sublinhou. Entre os objetivos está o estímulo à «internacionalização do negócio», concretamente, para que os comerciantes apostem não apenas na venda física dos seus produtos mas também no comércio “on-line”.

Fazer mais e melhor

Atualmente, a ACB é formada por um corpo profissional de 17 pessoas. Rui Marques lembra que, em 2011, a associação tinha mais de 30 colaboradores.

«A redução do corpo de pessoal deveu-se exclusivamente a uma questão de sustentabilidade», afirmou Rui Marques, apontando que, todavia, hoje a instituição faz «mais e melhor».

«Todas as associações comerciais do país ficam admiradas com a nossa equipa tão jovem», apontou o dirigente, concluindo que tal também contribui para o dinamismo.


Autor: Álvaro Magalhães