twitter

Vereadores do PS acusam Ricardo Rio de fazer obra sem acomodar as dificuldades

Vereadores do PS acusam Ricardo Rio de fazer obra sem acomodar as dificuldades
Fotografia DR

Redação

Publicado em 20 de outubro de 2023, às 09:47

Artur Feio acredita que, com as obras no Nó de Infias e as do BRT, a cidade vai «afundar» em termos de mobilidade.

O grupo de vereadores do PS na Câmara de Braga acusa o presidente da autarquia de ter avançado com obras na cidade sem acomodar as dificuldades e os constrangimentos que estão a causar ao nível da mobilidade.

Em conferência de imprensa, Artur Feio disse que o caos em termos de trânsito na cidade é uma «consequência direta da falta de planeamento, de estratégia que se vive à volta das obras que se fizeram e se vão fazer». «Tudo isto é apenas a ponta do icebergue, porque se juntarmos à frente as obras que se prometeram e que se vão fazer no nó de Infias e todas as intervenções que se vão fazer, ainda que desconhecidamente, ao nível do BRT, tudo isto vai afundar a cidade nos próximos quatro, cinco anos, com um problema gravíssimo que existe do ponto de vista da mobilidade», acrescentou.

Para Artur Feio, o presidente da Câmara de Braga quis «fazer obra por fazer, sem acomodar todas as dificuldades» que pudessem surgir e que eram expectáveis que acontecessem.

Como exemplo, o vereador do PS apontou as obras do túnel da Avenida da Liberdade que, na sua perspetiva, começaram tardiamente porque o concurso ficou vazio, mas deviam ter sido feitas desfasadamente, em regime noturno, sem necessidade de estarem a decorrer ao mesmo tempo que os trabalhos na Avenida da Liberdade. «O primeiro grande erro foi não se saber olhar e perspetivar todo um conjunto de obras que se iriam fazer e iam, necessariamente, colidir umas com as outras», sustentou.

Artur Feio, acompanhado de todos os vereadores do PS no executivo da Câmara de Braga, considerou que tudo isto tem causado um conjunto de queixas por parte de pessoas que, por estes dias, têm esperado mais de duas horas pelos autocarros dos TUB sem saberem se os transportes vão, ou não chegar.

O vereador do PS disse que os «TUB não conseguem dar respostas porque têm dificuldades e problemas na sua frota» e «não se podem pedir milagres com a quantidade de carros que circulam na cidade».

Para além da falta de planeamento, o PS acusa ainda Ricardo Rio de adotar «respostas em cima do joelho». «Aquilo que nós vemos é uma tentativa de resolver os problemas sem os resolver, criando aqui maiores dificuldades, porque as pessoas que não apanham os autocarros chamam Ubers e taxis, aumentando o tráfego e a pressão rodoviária», sustentou.

Para Artur Feio, é urgente criar prioridade para os transportes públicos, reformular todo o processo de planeamento do tráfego na cidade, que resulte numa perspetiva de dar condições aos bracarenses. «O que podemos e devemos fazer é pedir ao presidente da Câmara e ao pelouro que assumam as suas responsabilidades e saibam juntar os técnicos para dar uma resposta a isto», salientou.