twitter

UMinho debate mudanças na língua, cultura e arte na era da inteligência artificial

UMinho debate mudanças na língua, cultura e arte na era da inteligência artificial
Fotografia DR

Redação

Publicado em 16 de outubro de 2023, às 15:08

Daniela Braga, CEO da start-up Defined.ai, está entre os oradores do colóquio do Centro de Estudos Lusíadas, que se realiza quinta-feira em Braga

O Centro de Estudos Lusíadas (CEL) promove no dia 19 de outubro o colóquio “Língua, Cultura, Arte e… Inteligência Artificial”, no auditório 0.22 do Instituto de Educação da Universidade do Minho, em Braga.

A sessão de abertura conta às 9h30 com intervenções da vice-reitora para a Cultura e Território da UMinho, Joana Aguiar e Silva, do presidente do Conselho Cultural da UMinho, Miguel Bandeira, e do presidente do CEL, José Teixeira.

De seguida, a mesa redonda “As mudanças na(da) comunicação e produção de conhecimentos, na cultura e na língua” junta a fundadora e CEO da start-up de inteligência artificial Defined.ai, Daniela Braga, o diretor da plataforma editorial Shifter, João Gabriel Ribeiro, e ainda José Teixeira, que além de diretor do CEL é professor na área da linguagem e cognição.

Durante a tarde, às 15h00, o debate “(Re)combinações de arte-ciência com IA” vai contar com os testemunhos da diretora criativa da Caetsu, Sónia Leitão, do diretor do mestrado em Desenvolvimento de Jogos Digitais da Universidade de Aveiro, Mário Vairinhos, e o diretor do mestrado em Media Arts da UMinho, Daniel Brandão.

O CEL foi criado na sequência do legado atribuído à UMinho em 1975 pelo comendador António Nogueira da Silva. Esta unidade cultural situada na Avenida Central, em Braga, visa o estudo e a investigação da cultura lusíada nos seus múltiplos domínios e aspetos.