twitter

Bombeiros Voluntários de Braga ao serviço da proteção e segurança dos cidadãos

Bombeiros Voluntários de Braga ao serviço da proteção e segurança dos cidadãos
Fotografia Inês Pedro Fernandes

Publicado em 23 de julho de 2023, às 10:23

O “colete salva-vidas” da comunidade

Com mais de 145 anos de história, os Bombeiros Voluntários de Braga continuam a não hesitar quando ouvem um pedido de socorro.

Desde voluntários a bombeiros profissionais, este é um corpo misto, de todas as idades, onde se partilha o sentido de camaradagem e união.

O comandante Pedro Ribeiro faz disto vida há 22 anos e assume, desde 2020, o papel de dirigente. Confessou que a vida dos bombeiros não é calma, mas que tenta manter o espírito de equipa e também de família entre todos.

O dia a dia destes profissionais passa por dar resposta a mais de 50 ocorrências diárias, sendo que não são apenas combates a incêndios. Como explica o comandante, as ocorrências podem ser transporte de doentes não urgentes a urgentes através do 112, aberturas de porta com socorro, fugas de gás, socorro animal, prevenção de eventos, incêndios urbanos e também florestais.

«Temos de estar presentes para a população. A nossa única existência é servir a população», refere. Questionado sobre como é ser bombeiro em Portugal e o porquê de o fazer, Pedro Ribeiro sorri e responde, sem hesitar, que ainda faz parte do grupo de “maluquinhos” que gostam de, diariamente, servir os outros.

À conversa com o Diário do Minho estiveram também Paulo Silva e João Fernandes.

 Paulo faz disto profissão e afirma que foi a escolha mais certa da sua vida, explicando que não sabe ao certo o que o faz permanecer ali, só sabe que é algo que lhe corre no sangue. « É algo que me corre no sangue. É aquela coisa de ajudar o próximo».

Já João é enfermeiro, mas afirma que antes de o ser já era fascinado pelos “carros vermelhos” e, por isso, envergou neste desafio. «Eu acho que quem corre por gosto, não cansa. Acho que o mundo dos bombeiros me ajuda na minha profissão e vice-versa. Ambas me fazem ajudar pessoas», realça. Dois testemunhos que nos deram a entender o porquê de serem, quase diariamente, o “colete salva-vidas” de muita gente.

O comandante Pedro Ribeiro sublinha ainda que ser bombeiro não é só apagar fogos, é ver a tristeza no rosto de quem perde uma casa, um familiar, um animal. É fazê-lo 365 dias por ano, estando ao dispôr da comunidade 24 horas por dia.

E, em jeito de remate, deixou um conselho para todos os que escolhem fazer deste o este caminho. «Não façam como o comandante que se esqueceu da família, dos amigos e do tempo livre. Gosto de os ver cá, mas quero que haja um equilíbrio entre vida profissional e vida pessoal. É um equilíbrio necessário para a saúde de cada um».