Fotografia: DR

Santuário do Bom Jesus recebeu mais de um milhão e 500 mil pessoas em 2022

O turismo regressou em força ao Santuário do Bom Jesus.

20 Jan 2023

“O ano dos reencontros”. É assim que o Santuário do Bom Jesus qualifica o ano de 2022, considerando que «este ano de 2022 veio proporcionar reencontros, pela normalização das atividades sociais, mas também pela continuidade do trabalho que se faz no Santuário do Bom Jesus do Monte em prol de um espaço melhor, para quem o visita e para os que ali trabalham».

Apesar de a nível conjuntural, o ano ter ficado marcado pelo regresso da guerra aos limites da Europa, o gestor do Santuário do Bom Jesus para a UNESCO, Varico Pereira considera que «o Santuário deu passos importantes para a implementação da visão estratégica para um espaço mais sustentável e proporcionador de uma melhor qualidade de vida da comunidade local, dos colaboradores e de quem o visita».

Segundo Varico Pereira o levantamento das restrições da pandemia devolveu ao Bom Jesus um fluxo de visitantes muito próximo dos valores de 2019. «A comunidade local voltou para se reencontrar nos seus momentos de lazer, de prática religiosa, cultural e desportiva. Os escadórios, a Basílica e a mata voltaram a encher-se de gente ávida de recuperar o tempo de “clausura” imposto pela pandemia», sustenta, acrescentando que «a atividade turística, que ficou muito próxima dos níveis pré-pandemia em algumas atividades e em outras chegou mesmo a ultrapassar os valores de 2019».

Segundo os dados avançados pelo Santuário as missas celebradas por grupos de peregrinos, na Basílica mostram uma evidente maioria de estrangeiros. De forma organizada, celebraram 1506 polacos, seguidos de 983 italianos, 437 brasileiros e 376 estadunidenses, portugueses foram 924. No total foram mais de 5000 peregrinos dos “quatro cantos do mundo” que vieram celebrar ao Bom Jesus. Desde Alemanha, Argentina, Cabo Verde, Canadá, Croácia, Eslovénia, Espanha, França, Hungria Indonésia, Inglaterra, México, República Dominicana, Tahiti, entre outros.

Outro exemplo da recuperação do mercado internacional foi o aumento significativo da chegada de autocarros com cidadãos estrangeiros, assim como a utilização do elevador. No total visitaram o Bom Jesus mais de um milhão e quinhentas mil pessoas em 2022, um valor muito próximo de 2019.

 

Basílica registou aumento do culto

Também o serviço de visitas guiadas registou um aumento de 60% relativamente ao ano anterior, 1500 pessoas saíram do Bom Jesus mais enriquecidas com uma visita qualificada.

A Basílica do Bom Jesus também registou um aumento da atividade cultual em 2022, para lá das peregrinações internacionais referidas anteriormente, 134 casais deram o laço que os une, através do casamento e 116 crianças tiveram o seu primeiro sacramento, o batismo.

 

Comemorações dos 140 anos do Elevador

O ano de 2022 proporcionou ainda o regresso aos grandes eventos culturais no Bom Jesus, a maioria dos quais desenvolvidos em parceria com várias entidades. Efetivamente, orgulhamo-nos em construir pontes. Destacam-se o concerto de Natal com o Coro da Associação de Música Sacra de Braga, o Festival Semibreve, o Coro Académico da Universidade do Minho (CAUM) e o Coral Musical “Cupertinos”, que gravaram o seu terceiro CD na Basílica do Bom Jesus.

«Entre eles, o projeto mais ambicioso e que mobilizou mais a comunidade local e visitantes foram as comemorações dos 140 anos do elevador. Recebemos mais de 400 estudantes dos diferentes ciclos. Realizámos 10 visitas guiadas ao elevador e à exposição “Estância Elevada”», afirmou Varico Pereira. Segundo o gestor foram organizadas duas conferências subordinadas ao elevador e promovido um concurso de fotografia com 52 participantes. Também a exposição “Estância Elevada” esteve aberta 217 dias e recebeu mais de 30 mil visitantes, tendo viajado no elevador mais de 350 mil pessoas.

Varico Pereira realça ainda os protocolos e parcerias com várias instituições, como a Câmara Municipal de Braga, a Ordem dos Engenheiros, o Museu Bordalo Pinheiro, entre outras e a edoção de um livro sobre o elevador, da autoria de José Carlos Peixoto.

Para o gestor «se podemos tirar alguma lição desta pandemia, podemos afirmar que o Santuário do Bom Jesus soube ser resiliente e adaptar-se a essa nova realidade. Essa resiliência foi fundamental para conseguir manter esta estância no caminho da sustentabilidade (ambiental, social e económica)». «A responsabilidade é partilhada e a assinatura de um protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal de Braga e a Confraria do Bom Jesus do Monte vem evidenciar isso mesmo, como referiu o Dr. Ricardo Rio: “O Bom Jesus é um ativo de que todos devemos cuidar”. Este protocolo vai permitir apoiar a implementação de ações que vão de encontro às recomendações da UNESCO, para o nosso Santuário», afirmou Varico Pereira.

O gestor do Santuário do Bom Jesus para a Unesco aponta ainda a dimensão natural como « uma preocupação constante», afirmando que «é preciso garantir a sua sustentabilidade e disponibilização à comunidade implica trabalho permanente, manutenção e cuidado. Varico Pereira adianta ainda que 2023 será um ano «desafiante porque, se por um lado, se aproxima uma possível recessão, por outro, será necessário fazer investimentos significativos no Bom Jesus, desde a requalificação do Hotel do Templo e do Elevador à implementação do projeto Bom Jesus: Requalificar III, além da entrega dos relatórios periódicos e o de avaliação na UNESCO.





Notícias relacionadas


Scroll Up