Fotografia: Avelino Lima

Tribunal Eclesiástico Metropolitano também deve ser sinodal e samaritano

A abertura do ano judiciário do Tribunal Eclesiástico decorreu esta manhã no Centro Pastoral

Carla Esteves
19 Jan 2023

O Arcebispo Metropolita de Braga afirmou, hoje, que «a vida pastoral de uma diocese é sinodal e samaritana em qualquer âmbito. E, por isso, o Tribunal Eclesiástico entra na justiça e na paz, e por isso na sinodalidade», devendo, como tal, ser igualmente sinodal e samaritano. D. José Cordeiro falava durante a sessão inaugural do Ano Judiciário do Tribunal Eclesiástico Bracarense, que decorreu no Centro Pastoral da Arquidiocese de Braga.

Na ocasião, o Arcebispo Primaz reconheceu o trabalho desenvolvido pelos administradores da justiça e os escultores do Direito Canónico, «verdadeiros profissionais que desempenham uma tarefa vital na Igreja», e considerou que se tratam de «testemunhas infatigáveis de uma justiça superior, num mundo caracterizado pela injustiça e pela violência, e portanto os preciosos colaboradores na atividade pastoral da própria Igreja».

«Por este motivo, nos processos e caminhos de uma Igreja Sinodal e Samaritana, agradeço e louvo o trabalho, em modo sinodal, que este Tribunal tem desenvolvido, em articulação com os serviços centrais da nossa Cúria e outros colaborantes , sempre na comunhão com o Arcebispo», argumentou D. José Cordeiro.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up