Fotografia: DR

Plano de contingência para vaga de frio preparado caso as temperaturas desçam abaixo de zero graus

Atualmente, há 15 pessoas a viver nas ruas de Braga, um número que tem vindo a diminuir.

Rita Cunha
18 Jan 2023

O Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo (NPISA) de Braga, coordenado pela Cruz Vermelha Portuguesa de Braga congregando diversas instituições públicas e privadas do concelho, tem delineado um plano de contingência para dar apoio aos sem-abrigo durante a vaga de frio. Esse plano ainda não foi ativado neste inverno, uma vez que só entra em vigor caso as temperaturas mínimas atinjam os zero graus por pelo menos dois dias consecutivos, mas o apoio de rua, diário, tem sido feito no terreno para ajudar a aquecer as noites de quem vive na rua.

A noite de ontem foi bastante fria, mas ainda não chegou aos zero graus, prevendo-se uma subida das temperaturas mínimas nos próximos dias. «Neste momento, as temperaturas ainda não desceram ao ponto de ativarmos o plano de contingência. Todavia, nesta altura de inverno temos sempre este trabalho diário de rua com as pessoas», explicou ontem Nuno Rodrigues, coordenador da área de emergência social da delegação de Braga da CVP.

Segundo o responsável, «o objetivo é tirar as pessoas da rua porque se as tirarmos depois não precisamos de dar este apoio». Nesse sentido, todos os dias é feita a sensibilização junto desta franja da população, entregando cobertores e agasalhos, num «trabalho contínuo».

Caso o plano de contingência tenha de ser ativado, está previsto o acolhimento dos sem-abrigo num centro especificamente criado para o efeito.
De acordo com Nuno Rodrigues, o inverno e o verão são alturas do ano «preocupantes» e acarretam «desafios diferentes» quando falamos de pessoas que vivem na rua. No caso em concreto do inverno, este começa a ser preparado em setembro/outubro.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up