Fotografia: DR

Braga com a maior queda nacional na oferta de casas para arrendar

As habitações para arrendamento caíram quase 60% na cidade de Braga.

Joaquim Martins Fernandes
15 Jan 2023

A cidade de Braga fechou o ano de 2022 com a maior descida nacional na oferta de habitação para arrendamento. No final de 2022, a capital minhota registou uma contração de menos 59% face ao número de habitações disponíveis para arrendamento no final de 2021. No lado oposto esteve a cidade de Beja, onde a oferta de casas para arrendamento cresceu 29%.

Os dados são divulgados num estudo realizado pelo portal de habitação “Idealista”, que coloca as cidades de Lisboa e do Porto no segundo e terceiro lugares do ranking da diminuição da oferta de habitação, com menos 55% e menos 52%, respetivamente. «A oferta de casas para arrendar em Portugal desceu 40% no quarto trimestre de 2022, face ao “stock” que estava disponível no mesmo período de 2021», destaca o estudo enviado ao Diário do Minho.

O trabalho acrescenta que a oferta de habitação para arrendar em Portugal desceu em 14 capitais de distrito, ao longo no último ano. «A liderar a lista encontram-se Braga (-59%) e Lisboa (-55%), seguidos pelo Porto (menos 52%) e Viseu (menos 49%) como as capitais de distrito onde o “stock” disponível para arrendar casa mais desceu», sublinha o estudo.

 

Distrito registou segunda maior queda da oferta

O trabalho do portal “Idealista” coloca as cidades de Aveiro (-49%), Coimbra (-49%), Castelo Branco (-31%), Setúbal (-28%), Leiria (-25%), Viana do Castelo (-22%), Santarém (-13%), Faro (-11%), Vila Real (-9%), Funchal (-1%) entre as que mais reduziram a oferta.

«Por outro lado, Beja, foi a cidade onde mais cresceu a oferta (29%), seguida por Bragança (27%), Évora (24%), Ponta Delgada (19%) e Guarda (8%)». Estas cinco capitais de distritos são «as únicas cidades analisadas onde o “stock” aumentou», precisa o trabalho realizado pelo portal de habitação.

Na análise da evolução da oferta de casas para arrendamento por distrito/ilhas, o trabalho publicado pelo portal “Idealista” faz saber que o ranking da descida da oferta durante o último ano é liderado pelo distrito de Lisboa, que viu a oferta de habitação para arrendamento descer 50% em 2022. O distrito de Braga surge na segunda posição, com menos 47% da oferta, exatamente a mesma redução que é apontada para o distrito do Porto. Seguem-se os distritos de Aveiro (-41%), Viseu (-38%), Coimbra (-37%), Castelo Branco (-30%), Beja (-15%), Viana do Castelo (-14%), Setúbal (-14%) e Leiria (-12%).

Os distritos onde a oferta de habitações para arrendar menos desceu foram: Faro (-3%) e Vila Real (menos 1%).   Ainda segundo o estudo o enviado ao Diário do Minho, no distrito da Guarda, o “stock” de casas para arrendar no último ano subiu 33%, seguido por Bragança (27%), Évora (17%), ilha de São Miguel (10%), ilha da Madeira (6%) e Santarém (5%).





Notícias relacionadas


Scroll Up