Fotografia: EPA/ALI HAIDER

Líder de petrolífera vai presidir conferência da ONU sobre o clima

O diretor executivo da ADNOC é também ministro da Indústria e enviado especial para as mudanças climáticas dos Emirados Árabes Unidos.

Agência Lusa
12 Jan 2023

Os Emirados Árabes Unidos anunciaram esta quinta-feira a nomeação do diretor executivo da gigante petrolífera estatal ADNOC para presidir à próxima conferência da ONU sobre o clima (COP28), marcada para o final do ano, no Dubai.

O ministro dos Assuntos Presidenciais dos Emirados Árabes Unidos (EAU), Mansur bin Zayed al Nahyan, nomeou Ahmed al Jaber para liderar a organização da COP28, entre 30 de novembro e 12 de dezembro, indicou a agência de notícias oficial WAM.

Como diretor executivo da Abu Dhabi National Oil Company (ADNOC), Ahmed al Jaber está “a liderar a descarbonização e diversificação das operações e investimentos da empresa (…) para tornar as energias de hoje mais limpas, enquanto investe nas energias limpas de amanhã”, acrescentou.

Ahmed al Jaber é ainda ministro da Indústria e enviado especial para as mudanças climáticas dos Emirados Árabes Unidos.

O executivo lidera também a Masdar, uma empresa de energias renováveis que opera atualmente em 40 países.

A Masdar nasceu de um projeto para ter uma cidade sem carros e “neutra em carbono”, num investimento de 22 mil milhões de dólares (20,5 mil milhões de euros), nos arredores de Abu Dhabi. Mas, no início de 2008 e na sequência da crise financeira global, a qual atingiu duramente os EAU, o projeto, liderado por Al Jaber, acabou por reduzir as ambições.

Os EAU estão “comprometidos em aumentar a ambição nesta década crítica para a ação climática”, referiu a WAM, lembrando ter sido o primeiro país da região a “comprometer-se com uma redução de emissões em toda a economia”.

A última conferência da ONU sobre o clima, a COP27, terminou em novembro em Sharm el-Sheikh, no Egito, com a adoção de dois textos principais, uma declaração final e uma resolução sobre a compensação pelos danos, causados pelas alterações climáticas, sofridos por países vulneráveis.

Entre as possíveis modalidades de financiamento da resolução sobre o apoio financeiro adotada está a criação de um “fundo de resposta a perdas e danos”, uma reivindicação dos países em desenvolvimento.

No entanto, as modalidades de implementação do fundo ainda terão de ser elaboradas por uma comissão especial, para serem adotadas na COP28.

“O financiamento é a chave que pode desbloquear a ação climática e os Emirados Árabes Unidos estão comprometidos em apoiar e facilitar a revisão das instituições financeiras internacionais para aumentar o financiamento público, alavancar o financiamento privado e melhorar o acesso”, disse Ahmed al Jaber.





Notícias relacionadas


Scroll Up