Fotografia:

Papa convida a arrancar «máscaras» da hipocrisia na preparação para o Natal

Francisco sublinha importância de ser humilde e renova apelos à oração pela paz.

Redação/Ecclesia
4 Dez 2022

O Papa disse este domingo no Vaticano que o tempo do Advento, que precede o Natal no calendário católico, é uma oportunidade para arrancar as “máscaras” da hipocrisia e da “vida dupla”.

“O Advento é um tempo de graça para tirar as nossas máscaras – cada um de nós tem as suas – e colocar-nos na fila, com os humildes; para nos libertar da presunção de nos acharmos autossuficientes, para ir confessar os nossos pecados, os escondidos, e aceitar o perdão de Deus, para pedir desculpas a quem ofendemos”, referiu, desde a janela do apartamento pontifício, antes da recitação do ângelus dominical.

Francisco falava aos milhares de peregrinos reunidos na Praça de São Pedro, já decorada com a árvore de Natal e um presépio em madeira, oferecidos por regiões italianas.

“Com Jesus, sempre existe a possibilidade de recomeçar. Sempre! Ele espera por nós e nunca se cansa de nós. Sintamos dirigido a nós o grito de amor de João para voltar a Deus e não deixemos passar este Advento como os dias do calendário, porque é um tempo de graça para nós, agora, aqui”, apelou.

A intervenção evocou a figura de São João Batista, primo de Jesus, que ocupa um lugar central nas reflexões propostas pela Igreja Católica, no Advento.

Francisco falou de um homem “alérgico à vida dupla”, cuja austeridade e “aparente dureza” mostram a importância da coerência entre o que se vive e a fé que se professa.

“A hipocrisia é o perigo mais grave, porque pode arruinar até as realidades mais sagradas. A hipocrisia é um perigo grave. Por isso o Batista – como depois também Jesus – é duro com os hipócritas”, indicou.

O Papa afirmou que Deus escolhe “a humildade” como caminho para a salvação, desafiando os católicos a “descer do pedestal e mergulhar na água do arrependimento”, sem nunca se julgar superiores aos outros.

Após a oração, Francisco saudou os grupos de vários países, presentes no Vaticano, desejando a todos uma boa caminha de Advento.

“Na próxima quinta-feira vamos celebrar a solenidade da Imaculada [Conceição]. Confiemos à sua intercessão a nossa oração pela paz, especialmente pelo martirizado povo ucraniano”, concluiu.





Notícias relacionadas


Scroll Up