Fotografia: Avelino Lima

Braga mostrou ao júri união e envolvência em torno da candidatura a Capital Europeia da Cultura ‘27

A audiência final de Braga está marcada para a próxima terça-feira de manhã, em Lisboa. O nome da cidade vencedora será divulgado no dia seguinte.

Rita Cunha
30 Nov 2022

O Mercado de Braga foi, esta tarde, palco de uma manifestação de união e envolvência da comunidade em torno da candidatura a Capital Europeia da Cultura em 2027. O momento, bastante emotivo, assinalou o culminar de uma visita de quatro dos 12 elementos do júri que ficaram a conhecer ao vivo a cidade e todo o seu dinamismo cultural, contactando em simultâneo com diversos agentes locais.

Depois de um dia preenchido, que começou no Mosteiro de Tibães e terminou no Mercado Municipal, Cláudia Leite mostrou-se confiante e garantiu que tudo foi feito para que Braga seja selecionada. Um esforço que continuará já na terça-feira, dia em que decorrerá uma apresentação da candidatura, com 70 minutos de perguntas e respostas, um dia antes da decisão final, que será conhecida na quarta-feira, dia 7 de dezembro, às 16h00, em Lisboa.

«Fizemos tudo o que podíamos fazer e vamos continuar a dar o nosso melhor na audiência. Agora é esperar que todo este trabalho seja reconhecido», disse, acreditando que, de Braga, o júri levou a melhor impressão. «Eles perceberam, acima de tudo, que a nossa candidatura é real e honesta, feita com o contributo de todos os que estiveram presentes hoje. Que o que transmitimos na candidatura foi construído com a cidade, que são problemas e desejos reais e que é um trabalho coletivo. Isto é algo que não se lê, só estando na cidade se sente», referiu, salientando a «união» em torno de todo o processo.

O presidente da Câmara Municipal de Braga também se mostrou confiante. «Acho que Braga fez tudo o que estava ao seu alcance para apresentar uma candidatura excecional», disse Ricardo Rio, salientando que esta é uma candidatura não só do concelho mas da região e da eurorregião, a qual «tem mobilizado apoios a todos esses níveis» e que «é um excelente desafio para o que a Europa deve ser no futuro, onde a cultura desempenha um papel fundamental».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up