Fotografia: Avelino Lima

Braga assinala Dia da Cidade Educadora com atividades criativas, integradoras e ambientais

Na Quinta Pedagógica de Braga foi pintada uma tela inspirada no cartaz da Rede das Cidades Educadoras

Carla Esteves
30 Nov 2022

Braga assinalou, hoje, o Dia Internacional da Cidade Educadora sob o lema “A Cidade Educadora, cidade de paz e oportunidades”, com atividades    relacionadas com a biodiversidade e a criatividade. A iniciativa, que contou com a participação de duas turmas do 4.º ano da EB 1 de Real, decorreu na Quinta Pedagógica de Braga, tendo como principal objetivo consciencializar sobre a importância da educação e dar visibilidade ao compromisso que a autarquia bracarense assume, destacando a educação como vetor gerador de bem-estar, convivência, prosperidade e coesão social.

A vereadora da Educação da Câmara de Braga, Carla Sepúlveda, salientou que o estatuto de “Cidade Educadora” que Braga adquiriu é demonstrativo das preocupações do Município na vertente da Educação, bem demonstrado através das atividades diferenciadoras que vão sendo desenvolvidas na cidade e que dão lugar à referenciação como “Município com Boas Práticas”.

«Deslocámo-nos recentemente à Coreia e apresentámos três dos nossos projetos demonstrativos de como uma cidade educadora deve ser uma cidade integradora, diversificada e que olha no seu todo, e no conjunto, desde as crianças até à terceira idade», argumentou, salientando que o encontro na Quinta Pedagógica, permitiu precisamente a criação de laços intergeracionais.

 Para melhor transmitir a mensagem de “Cidade Educadora” foi elaborada uma tela gigante, com o apoio da ilustradora Soraia O, que pretende criar memórias nas crianças que participaram na sua realização. 

O mural, inspirado no cartaz da Rede das Cidades Educadoras, convidou crianças e adultos a deixarem o seu “risco” numa tela que será posteriormente exposta ao público. 

  «Queremos que as crianças saibam explicar que uma cidade educadora é uma cidade que se preocupa que todos estejam integrados , com todos aqueles que fazem parte da escola, quer os colegas, o pessoal auxiliar e professores, e essencialmente aquelas pessoas que escolhem Braga para viver», afirmou.

Carla Sepúlveda sublinhou que «foi interessante perceber que as crianças reconheceram, na tela, que “Braga é uma cidade de porta aberta” a todos os que querem viver connosco não só no turismo, mas na vida do dia a dia, e assumir que é uma cidade de braços abertos para abraçar novas causas e novos projetos que fazem a diferença».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up