Fotografia: Jorge Marcoa

Apoios europeus dão ao Minho investimentos de 4,7 mil milhões

Os 24 municípios que integram as sub-regiões do Alto Minho, Ave e Cávado receberam até ao final do primeiro semestre de 2022 apoios financeiros europeus no valor de quase 3 mil milhões de euros.

Joaquim Martins Fernandes
23 Nov 2022

Os oito municípios que integram a Comunidade Intermunicipal do Ave – Cabeceiras de Basto, Fafe, Guimarães,Mondim de Basto, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Vila Nova de Famalicão e Vizela – acumulam o maior volume de investimentos com apoios dos fundos europeus do quadro comunitário ainda em vigor. Até ao final do primeiro semestre deste ano, o valor dos projetos concretizados com financiamento europeu chegou aos 1817 milhões 597 mil euros. O financiamento europeu acumulado é de 1011 milhões 744 mil euros, o que revela que os setores público e privado do Ave teve apenas uma taxa de financiamento de 60,61 por cento, que é a mais baixa das oito sub-regiões do Norte. 

Os dados publicados pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-NORTE) no relatório “Norte UE. Dinâmicas de Fundos Europeus na Região Norte” dão conta que a região executou até ao final de junho deste ano 6812 milhões 730 mil euros dos 10 mil 749 milhões 303 mil euros que foram aprovados, o que coloca a taxa de execução dos fundos comunitários da região nos 63,4, ou seja, duas décimas abaixo da média nacional.

Sem dados da execução do financiamento aprovado para as sub-regiões, o relatório da CCDR-NORTE faz saber que os 24 concelhos que integram as sb-regiões do Alto Minho, Ave e Cávado somaram apoios europeus no valor de 2998 milhões 876 mil euros para um volume de investimentos elegíveis no montante 4699 milhões 817 mil euros. 

Os concelhos que integram a sub-região do Cávado – Amares, Barcelos, Braga, Esposende, Terras de Bouro e Vieira do Minho – registam a maior percentagem de apoios financeiros europeus face ao valor total do investimento. Desde que entrou em vigor o quadro comunitário 2020, e até ao passado dia 30 de junho, o Cávado recebeu 1173 milhões 867 mil euros de apoios comunitários, valor que representa 66,21 por cento dos 1817 milhões 597 mil euros que fazem os investimentos totais realizados com financiamento europeu.

Já os 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo acumulam apoios comunitários no valor de 723 milhões 265 mil euros. O volume total dos investimentos realizados com financiamento da União Europeia é de 1109 milhões 340 mil euros, o que coloca a taxa de financiamento nos 65,19 por cento do investimento elegível.

Em termos de fundo aprovado por habitante, o Alto Minho tem um financiamento de 3127 euros, que é o mais da região Minho e o segundo maior entre as oito sub-regiões do Norte. A sub-região Terras de Trás-os-Montes teve um financiamento de 3870 euros por habitante – é o mais elevado do Norte -, mas regista o financiamento global mais baixo da área de jurisdição da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (415 milhões 224 mil euros).

O maior volume de fundos europeus foi atribuído à Área Metropolitana do Porto, que acumula apoios comunitários de 4517 milhões 921 mil euros para um volume de investimento ligeiramente acima dos 7 mil milhões de euros. 

Só no âmbito do Norte 2020 – Programa Operacional Regional do Norte, o Minho recebeu apoios europeus no valor de 1089 milhões de euros.





Notícias relacionadas


Scroll Up