Fotografia: DR

Capela mortuária de Atães recebe nome do pároco

D. Nuno Almeida, Bispo auxiliar de Braga, benzeu equipamento desta freguesia de Guimarães

Redação
21 Nov 2022

Uma «bonita homenagem» que a comunidade faz ao padre Domingos Oliveira. Foi assim que o bispo auxiliar de Braga, D. Nuno Almeida, se referiu à atribuição do nome do pároco de Atães à capela mortuária desta freguesia de Guimarães, inaugurada na tarde de ontem. 

O prelado presidiu à celebração da Eucaristia por ocasião da inauguração oficial desta «importante» obra e destacou a importância do trabalho e dos projetos levados a cabo em parceria nas comunidades. 

«Quando há cooperação e todos dão as mãos, as coisas acontecem. Este é um local muito especial», realçou D. Nuno Almeida.

Na cerimónia de inauguração oficial da capela, “batizada” com o nome do pároco de Atães, Domingos Oliveira, esteve também Domingos Bragança, presidente da Câmara de Guimarães, e a vereadora das Obras Municipais, Sofia Ferreira.

O programa iniciou-se com a celebração da eucaristia por D. Nuno Almeida, em representação do Arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, a qual contou com a participação de muitos populares, seguindo-se a bênção da capela mortuária e as intervenções protocolares.

A capela mortuária está localizada junto à igreja paroquial e era «muito desejada na freguesia», disse o presidente da União de Freguesias de Atães e Rendufe, Patrício Araújo, enaltecendo a qualidade da obra. 

O autarca, que agradeceu o apoio de Domingos Bragança, explicou que a atribuição do nome do padre Domingos Oliveira à capela foi uma decisão unânime da Assembleia de Freguesia, como «reconhecimento do trabalho de proximidade e da dedicação do pároco».

O sacerdote, emocionado, agradeceu o «carinho de todos» e disse ser uma «enorme responsabilidade» ver o seu nome na capela, o que faz com que nunca deixe de «comungar as amarguras e as lágrimas» dos que por ali vão passar.

Na sua intervenção, Domingos Bragança, justificou o apoio a esta obra com aquele que disse ser «o forte sentimento de pertença e identidade que este tipo de espaços confere aos locais e à comunidade».

«As comunidades têm que ter as condições dignas e necessárias para uma reunião tão sentida, na hora de prestar a última homenagem a quem parte», reforçou.

O edil agradeceu, em nome do Município, o trabalho do padre Domingos Oliveira, e destacou qualidade desta obra num «espaço tão bem qualificado e enquadrado na zona da Igreja.

Domingos Bragança destacou ainda o empenho do presidente da União de Freguesias na concretização da capela mortuária.

[Notícia na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up