Fotografia: DR

Vieira do Minho aprova maior orçamento dos últimos anos

Grandes Opções do Plano apresentado estão direcionadas para as Funções Sociais, que absorvem mais de 50% do investimento.

Pedro Vieira da Silva
18 Nov 2022

A Câmara Municipal de Vieira do Minho (CMVM) aprovou, na passada quarta-feira, em reunião camarária, a proposta de Orçamento e Grandes Opções do Plano para 2023, com um valor global de 19, 8 milhões de euros. Este é, segundo o edil vieirense António Cardoso, o «maior orçamento dos últimos anos» e que vai dar prioridade às funções sociais (estas absorvem 50% do “bolo”).

A proposta apresentada «fundamenta a ação estratégica» do executivo vieirense, «orientada para o ciclo de desenvolvimento do concelho, no qual as pessoas continuam a ser o foco principal da ação política, sem descurar os objetivos territoriais fundamentais para o desenvolvimento sustentável», destaca, em nota enviada às redações, a CMVM.

O plano de ação municipal «deve dar resposta às questões do emprego, ação social, saúde, educação, floresta, agricultura, turismo, ambiente, sustentabilidade, cultura, associativismo, desporto, juventude, de trabalho infraestrutural em todas as freguesias do concelho e de qualidade de vida», junta a nota.

«O desafio passa, por novamente, assumir a adequada operacionalização dos serviços municipais para que os recursos humanos possam alcançar elevados níveis de eficiência e eficácia, que será uma mais-valia no desempenho da atividade municipal», sublinha António Cardoso.

A proposta contempla a delegação nas juntas de freguesia de um conjunto de competências, sendo que a edilidade vieirense recorda que, nos últimos anos, a CMVM assumiu novas competências, fruto da descentralização de competências, que, segundo prevê o documento, permitirá a «criação de mais-valias para o território e uma maior proximidade dos serviços à população».

Nos documentos previsionais para 2023 «continua evidente o investimento na floresta, agricultura, ambiente e turismo. Continua a ser dada prioridade a investimentos industriais e de criação de emprego, nunca perdendo de vista a manutenção de uma sociedade inclusiva, potencializadora de igualdade e empreendedorismo e sempre solidária com os mais necessitados», destaca a nota, anunciando, ainda, que a proposta apoia as entidades e associações locais de carácter social, cultural, recreativo, desportivo e económico.

Apoios a empresas e ainda às famílias

Para António Cardoso, a orientação estratégica «continua centrada num conjunto de benefícios» para os vieirenses e que «constituem um alívio no orçamento familiar», sendeo «exemplo disso a aplicação da taxa mínima de IMI, o desconto de 5% na taxa do IRS, a isenção da taxa de derrama as empresas com volume de negócios inferior a 250 mil euros, entre outros».

O combate aos casos de pobreza e de exclusão social «continuarão na primeira linha» dos objetivos da CMVM, «através da promoção de políticas que contribuam para a dignidade e o desenvolvimento da pessoa humana».

António Cardoso pretende «continuar a pautar a sua atuação na construção de um concelho que promova a educação, que crie mais emprego e potencie mais investimento, assente numa governação baseada nos princípios da responsabilidade e da transparência».

O presidente da autarquia vieirense considera que, «graças à boa gestão financeira dos últimos anos, que se manterá», a execução deste orçamento vai permitir que Vieira do Minho «chegue ao final de 2023 com mais justiça social, mais qualidade de vida para os vieirenses».





Notícias relacionadas


Scroll Up