Fotografia: UMinho

UMinho tem três dos cientistas mais citados no mundo

As citações são um dos critérios mais utilizados para produzir rankings de instituições de ensino superior.

Redação
15 Nov 2022

A Universidade do Minho passa a ter três cientistas entre os mais citados no mundo por outros investigadores – a António Vicente e José António Teixeira, do Centro de Engenharia Biológica (CEB), junta-se este ano Rui L. Reis, do Grupo 3B’s.

A confirmação é dada hoje pela lista Highly Cited Researchers 2022, da consultora norte-americana Clarivate Analytics, que inclui 6938 cientistas de 69 países, sendo 20 deles em Portugal. O ranking incide no período 2011-2021 e apenas sobre os artigos altamente citados, que representam 1% do que se publica no mundo e para 21 áreas de conhecimento.

De acordo com a UMinho, a dupla do CEB surge pelo quinto ano consecutivo na área das ciências agrárias da lista. António Vicente teve os seus artigos citados 16.649 vezes e está ligado a inovações como ecoembalagens, compostos funcionais e bioativos e nanossistemas para aplicações alimentares. José António Teixeira é um nome ímpar na biotecnologia industrial e biotecnologia alimentar, tendo várias distinções e 22.132 citações dos seus artigos.

Rui L. Reis estreia-se na área cross-field da lista, com 56.339 citações dos seus artigos. O diretor do Grupo 3B’s, do laboratório associado ICVS/3B’s e do instituto europeu EXPERTISSUES é uma referência em biomateriais, engenharia de tecidos e medicina regenerativa, com diversos prémios e cargos internacionais.

O Highly Cited Researchers 2022 inclui, aliás, mais três alumni da UMinho em ciências agrárias/cross-field: Isabel Ferreira, Manuel Simões e Miguel Ângelo Cerqueira

As análises bibliométricas da lista foram realizadas pelo Instituto de Informação Científica do grupo Web of Science, que “pesou” os artigos científicos da mesma coorte anual, retirando a vantagem da citação de artigos mais antigos perante os mais recentes. Os países mais representados no ranking são os EUA (2764 cientistas, 38% do total), China (1169), Reino Unido (579), Alemanha (369) e Austrália (337). Portugal sobe para o 13º lugar europeu (era 15º em 2021) e para o 26º lugar no mundo (era 30º). A lista inclui diversos Prémios Nobel e as instituições com maior volume de cientistas são a Universidade de Harvard (233), a Academia Chinesa de Ciências (228) e a Universidade de Stanford (126).

As citações são um dos critérios mais utilizados para produzir rankings de instituições de ensino superior e demonstram a influência significativa de um grupo de investigadores entre os seus pares.

Há um mês, foi também publicada a lista “World’s Top 2% Scientists 2022”, do grupo editorial Elsevier, tendo 57 cientistas da UMinho entre os 200 mil cientistas mais influentes do mundo.





Notícias relacionadas


Scroll Up