Fotografia: DM

Educação vive «processo de transformação» e «temos de criar condições nas escolas»

Ideia foi defendida por António Sampaio da Nóvoa, esta manhã, numa sessão sobre “Os últimos cinquenta anos e os futuros da Educação em Portugal”, na Escola Secundária Alberto Sampaio.

Rita Cunha
15 Nov 2022

A educação está a atravessar um «processo de transformação» que «não tem paralelo em nenhum outro momento da história», devendo a «escola do futuro» ser pensada «como uma pluralidade de culturas, de pessoas e de abordagens diversas».

A ideia foi defendida por António Sampaio da Nóvoa, professor universitário e doutor em Ciências da Educação e História Moderna e Contemporânea, esta manhã, numa sessão sobre “Os últimos cinquenta anos e os futuros da Educação em Portugal”, que se realizou na Escola Secundária Alberto Sampaio, por ocasião do aniversário de nascimento do patrono, com o qual tem uma ligação familiar, sendo um dos seus antepassados.
À margem da iniciativa, o responsável sublinhou que a educação tal como a conhecemos, em que um professor dá uma aula numa sala, durante uma hora, está a «mudar muitíssimo».

«Os novos ambientes educativos são ambientes de uma maior diversidade onde alunos e professores fazem coisas diferentes, onde se trabalha em colaboração, com uma proximidade muito grande com as questões da ciência e sociais», explicou, não conseguindo antever como tal irá concretizar-se. Certo é que «temos de criar as condições nas escolas e nas políticas para que possam surgir iniciativas, para dar uma certa liberdade aos professores, aos alunos e às comunidades para experimentarem coisas novas, para inovarem e tomarem iniciativa».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up