Fotografia: Avelino Lima/DM

Esforço coletivo garante a Famalicão a recuperação de um património icónico

O presidente da Fundação Cupertino de Miranda, Pedro Álvares Ribeiro, apontou no sábado o envolvimento das famílias e empresas de Famalicão na recuperação dos Painéis de Azulejo que revestem o edifício-sede da instituição como «um exemplo notável» de como recuperar o património.

Joaquim Martins Fernandes
13 Nov 2022

A Fundação Cupertino Miranda (FCM), em Vila Nova de Famalicão, inaugurou ontem os trabalhos de recuperação dos Painéis de Azulejo do edifício-sede. Realizada ao longo de um ano, a reabilitação mobilizou milhares de cidadãos individuais, famílias e empresas, que contribuíram de forma decisiva para o financiamento da intervenção. 

«Este é um exemplo de como é possível recuperar o património com o envolvimento coletivo», disse o presidente da Fundação. Pedro Álvares Ribeiro falava na cerimónia de apresentação do restauro dos Painéis de Azulejos, que foram criados há 60 anos pelo escultor Charters de Almeida, que contou com a presença do autor da obra de arte e do presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. 

A intervenção na obra de arte que foi apresentada como «um dos melhores cartões de visita do concelho de Famalicão e da região» contou também com o apoio da autarquia. «Foi também graças ao apoio da Câmara Municipal que conseguimos avançar para este desafio muito complexo», acrescentou Pedro Álvares Ribeiro, vincando que a exigência do Município em que os trabalhos de recuperação respeitassem originalidade da obra que ainda hoje é «uma das mais singulares em todo o mundo», pela sua dimensão.

Sem esconder «as muitas dúvidas» que marcaram o arranque do restaurado quanto ao resultado final, o presidente da FCM vincou que «o trabalho de recuperação foi feito azulejo a azulejo e das dezenas de milhares de azulejos intervencionados, só uma pequena parte (cerca de 3 por cento) teve de ser substituída. «A campanha mostrou como se pode envolver toda uma cidade na recuperação do património», destacou Pedro Álvares Ribeiro, depois de confidenciar que «o estado em que se encontravam os Painéis de Azulejo causava mágoa».

A importância da recuperação da obra da autoria de Charters de Almeida foi também sublinhada pelo presidente da Câmara Municipal de Famalicão. Mário Passos afirmou que a jornada de inauguração dos trabalho «é um grande dia» para Famalicão. «A Fundação Cupertino Miranda é cada vez mais importante para o concelho e para o país», disse o autarca, que destacou o contributo da instituição para «a promoção do humanismo».  





Notícias relacionadas


Scroll Up