Fotografia: Avelino Lima/DM

Imigrantes brasileiros sentem-se «bem acolhidos» no concelho de Braga

A integração de imigrantes brasileiros em Braga, a sua inserção no mercado de trabalho e o papel da UAI – Associação Sociocultural Luso-Brasileira de Apoio à Integração em Portugal neste processo foi um dos temas em destaque do programa “Trio de Quatro”, emitido ontem na DMTV.

Jorge Oliveira
10 Nov 2022

Outrora grande emissor de mão de obra para o Brasil, o concelho de Braga é hoje aquele que maior percentagem tem de imigrantes brasileiros a nível nacional. As estimativas apontam para um total de 15 mil. Mas estará Braga a acolher bem a comunidade brasileira?

Convidada do programa “Trio de Quatro” da DMTV, a presidente da UAI – Associação Sociocultural Luso-Brasileira de Apoio à Integração em Portugal afirma que em Braga «todos os brasileiros sentem-se bem acolhidos».

Segundo Alexandra Gomide, o «ambiente seguro, estável e tranquilo» de Braga, a qualidade de vida que oferece, as escolas, a educação, o sistema de saúde, a facilidade da língua, a facilidade em matéria de documentação são os principais factores que levam famílias brasileiras a escolherem a cidade dos Arcebispos para morar.

«Braga é uma cidade que oferece tudo o que os grandes centros oferecem, mas num espaço mais calmo. Juntando as políticas de imigração e a forma de acolhimento tudo isso favorece a integração do brasileiro em Braga», referiu.

Alexandra Gomide apontou a violência no Brasil como o principal motivo que leva brasileiros a imigrarem para Portugal. «Isso explica também o facto de virem muitas famílias, em busca de segurança para os filhos», acrescentou.

O deputado municipal José Eduardo Gouveia (PS), um dos comentadores residentes do programa, saudou o crescimento da comunidade brasileira no concelho de Braga, com uma notória presença de famílias, considerando que a fixação de imigrantes em Braga e no país «é uma mais-valia», na medida em que poderá contribuir para inverter o decréscimo demográfico e o despovoamento e fortalecer a sustentabilidade da Segurança Social. 

O deputado municipal Joaquim Barbosa, eleito pela Coligação Juntos por Braga, reconhecendo que «Portugal precisa de imigrantes», defendeu a implementação de uma «política ativa de imigração» que seja criteriosa, seletiva e integradora, no sentido do desenvolvimento do país. Essa política, acrescentou, deve passar principalmente pelos Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

O comentador residente mais antigo do “Trio de Quatro” disse ainda que vê com «bons olhos» as políticas do Governo sobre a imigração, destacando a facilitação na concessão de vistos de trabalho para cidadãos dos PALOP.   

Alexandra Gomide aplaudiu aquela medida, mas alertou que isso tem levado a que no Brasil haja quem pense que é fácil encontrar trabalho em Portugal, o que nem sempre é verdade.

Tal como Joaquim Barbosa, a presidente da UAI entende que é necessário haver rigor na entrada de imigrantes, caso contrário, poderão chegar a Portugal pessoas que «não encaixem no perfil» desejado.

Sediada na cidade de Braga há quatro anos, a UAI tem apoiado, com informação, atividades e aconselhamento, a integração da comunidade brasileira não só em Braga, mas também em outras localidades do Norte de Portugal. A Associação obteve  o reconhecimento a nível regional pelo Alto Comissariado para as Migrações e faz parte do Conselho Municipal do Imigrante, Integração e Interculturalidade de Braga. 





Notícias relacionadas


Scroll Up