Fotografia: DM

Encontro reforça ligação à Galiza viajando “De Braga a Corunha num Risco”

“Braga em Risco” assume também função de residência e laboratório.

Carla Esteves
6 Nov 2022

O percurso inaugural do Braga em Risco 2022 reservou, ontem, uma paragem inevitável na Galeria do Largo do Paço, para apreciar a coletiva que junta os curadores Manuel Craneo, Marta Madureira e Pedro Seromenho. “De Braga a Corunha num Risco” prova que não existem fronteiras na arte enquanto linguagem universal e revela, mais uma vez, a força daquilo que une as regiões do Eixo Atlântico.

«Nesta curadoria lançámos dez temas transversais às duas culturas, e desafiámos dez ilustradores que ou residem ou nasceram em Braga e dez que ou residem ou nasceram na Corunha», revelou Pedro Seromenho, esclarecendo que «cada um ilustrou um tema, com o objetivo de ligar as duas cidades pelo risco».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up