Fotografia: Avelino Lima

Bienal de Arte Jovem bate recorde de participantes e junta em Vila Verde obras de mais de cem criadores

A 12.ª edição decorre entre os dias 12 de novembro e 16 de dezembro, no edifício da antiga escola primária de Vila Verde.

Rita Cunha
3 Nov 2022

A Bienal Internacional de Arte Jovem está de regresso a Vila Verde para uma 12.ª edição que bateu o número recorde de participantes, compreendendo a exposição 104 obras da autoria de 102 artistas nacionais e internacionais, oriundos de países como Espanha, Eslovénia, Polónia, Brasil e Angola.

A decorrer entre os dias 12 de novembro e 16 de dezembro, no edifício da antiga escola primária, o evento conta com coordenação artística do pintor Luís Coquenão, responsável pelo logótipo presente no cartaz.

Na apresentação do certame, que aconteceu esta manhã, a presidente da Câmara Municipal de Vila Verde salientou a elevada participação, quer em termos de número como de qualidade, assim como o impacto que uma iniciativa como esta pode ter na vida dos jovens que pretendem iniciar uma vida dedicada à arte, servindo de «rampa de lançamento».

«Muitos jovens têm passado por aqui e a história da Bienal também se faz com esses talentos. A Bienal abriu oportunidades no mundo artístico, um mundo que não é fácil, e é cada vez mais importante dar estas oportunidades aos jovens para que tenham um “trampolim” para o que amam», referiu Júlia Fernandes., lembrando que o vencedor da primeira bienal, em 1999, é hoje um dos elementos da organização.

Os vencedores desta edição podem ser consultados aqui, assim como os horários de visita à exposição.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up