Espaço do Diário do Minho

Verde, também a cor do liberalismo: a desflorestação (½)

30 Out 2022
Mário Queirós e Bruno Machado

Caro leitor, espero que não esteja a ler estas linhas num suporte de papel, pois por cada 120 folhas de papel que utilize, está a destruir cerca de 1 kg de madeira.

A produção de papel é uma das responsáveis pela desflorestação, mas não é a única, pois a madeira serve para construção e como combustível, ou por opção, ou em zonas onde o acesso a gás e electricidade é difícil ou inexistente. No entanto, o principal factor de abate de árvores no mundo, tem sido a necessidade de produção de alimentos para consumo humano e para criação de animais (também para consumo humano).

Portanto, para acabarmos de vez com a desflorestação, temos de mudar radicalmente os nossos hábitos: eliminar o papel das nossas vidas, utilizar aquecimento produzido exclusivamente através de fontes renováveis de energia, e alterar a nossa dieta, reduzindo drasticamente o consumo de produtos animais e derivados.

Infelizmente, os nossos hábitos de consumo tiveram as suas consequências, cujos dados dos últimos 30 anos podem ser apreciados no seguinte gráfico.

Apesar de o ritmo de desflorestação estar a diminuir, a perda de hectares de área florestal tem sido imensa. Por isso, nós precisamos que haja uma inversão: a área florestal tem de aumentar, para começarmos a compensar as perdas acumuladas. Será que já temos soluções para isto? Vejamos o que se tem passado ao nível dos países mais ricos e mais pobres.

 

 

 

Afinal, parece que há uma esperança. Afinal, nos últimos 30 anos, alguns países aumentaram a sua área florestal: os países de altos rendimentos. E conseguimos perceber que, quanto mais baixo o rendimento do país, mais área florestal ele perde.

Como é possível que os países de mais altos rendimentos, onde o sistema económico adoptado é o capitalismo, onde foram adoptados modelos de sociedade predominantemente liberais, sejam aqueles em que as florestas estão a ganhar terreno?

Na próxima semana vamos responder a esta e outras questões, para mais uma vez confirmarmos que Verde, é também a cor do Liberalismo.

Fonte para a construção dos gráficos: https://databank.worldbank.org/reports.aspx?source=2&series=AG.LND.FRST.ZS&country=#

 



Mais de Mário Queirós e Bruno Machado

Mário Queirós e Bruno Machado - 18 Dez 2022

O Liberalismo assenta na defesa da liberdade individual, nos campos económico, político e social, contra os abusos do Estado. Esta doutrina surgiu precisamente da vontade de limitar os poderes do Estado, para assim ocorrer a ascensão da liberdade e direitos individuais, da igualdade perante a lei, da promoção do comércio livre e da protecção da […]

Mário Queirós e Bruno Machado - 4 Dez 2022

Na semana passada, vimos que as novas tecnologias têm vindo a permitir consumos cada vez com menos impacto no meio ambiente. No entanto, para recuperarmos o ambiente não podemos limitar-nos a encontrar energias limpas e formas mais eficientes de as usar e apostar na reciclagem, pois existe muita agressão ao ambiente que é preciso travar […]

Mário Queirós e Bruno Machado - 20 Nov 2022

Na semana passada pudemos perceber que a emissão de gases com efeito de estufa tem vindo a crescer de ano para ano, e o que é pior, tem vindo a crescer a taxas cada vez maiores. Mas acabámos a nossa reflexão com uma promessa de esperança. Agora vamos ver se são os países com maiores […]


Scroll Up