Fotografia: DR

Autarcas de Barcelos e Esposende unem esforços por novo hospital

No final de uma visita conjunta ao atual hospital, os autarcas evidenciaram as carências e condenaram que Orçamento de Estado para 2023 não consagre nenhuma verba para o avanço da obra.

Rui de Lemos
29 Out 2022

O «desalento» e o «mal-estar» estão instalados nos autarcas dos concelhos de Barcelos e Esposende pelo facto de o Orçamento de Estado para 2023 não ter «nenhuma verba inscrita» destinada à construção do novo Hospital de Barcelos, depois do retomar de um processo que estava parado há uma década.  A nota de incómodo foi transmitida, ontem, no final de uma visita conjunta dos presidentes das assembleias municipais dos dois concelhos ao Hospital de Santa Maria Maior, que serviu para voltar a enfatizar a necessidade do avanço da obra.           

A Assembleia Municipal (AM) de Barcelos criou, logo no início deste mandato, a Comissão Municipal de Saúde que integra também o presidente da AM de Esposende e que visa acompanhar a evolução do processo e reivindicar a construção do novo hospital, que vai servir os dois concelhos. O processo foi retomado, depois de 10 anos parado, e o Governo avançou, em junho deste ano, com a constituição do grupo de trabalho para a elaboração de proposta de perfil assistencial, área de influência e dimensionamento do novo Hospital de Barcelos, bem como do grupo de trabalho para a elaboração de proposta de programa funcional. Por isso, «no recente conhecimento do Orçamento de Estado e ao não ter nenhuma referência, nem rúbrica aberta relativamente à construção do novo hospital deixou aqui alguma ansiedade, algum desalento, algum mal estar e desencanto com uma expectativa que se criou e que, naturalmente, ainda se mantém», considerou o presidente da AM de barcelos, Fernando Santos Pereira, ontem, em conferência de imprensa, depois daquela visita.

De igual modo, o presidente da AM de Esposende, Carlos Matins da Silva, vincou que «o desejo do avanço da construção do novo Hospital de Barcelos/Esposende é também um desejo da população de Esposende e estamos juntos nessa luta». Assim, o autarca consentiu que aquela iniciativa conjunta, a par de outras, «são mais uma forma de chamada de atenção e de pressão para que a construção seja iniciada, porque esta é uma necessidade já identificada há muito e esta visita veio, mais uma vez, demonstrar as fraquezas, os pontos fracos e as necessidades que existem». 

No final da visita ao Hospital de Santa Maria Maior e reunião de trabalho com o conselho de administração, o presidente da Assembleia Municipal de Barcelos, Fernando Santos Pereira sublinhou que a atual unidade «tem bons indicadores dentro das circunstâncias limitadoras, mas nota-se uma carência imensa ao nível   das infraestruturas, do apoio aos profissionais e a toda esta problemática relativa à Saúde no concelho» Assim, perante as carências, os autarcas dos dois concelhos «estão unidos no mesmo desejo» de ver avançar o mais rapidamente possível e com evidências concretas todos os procedimentos e financiamentos necessários para a construção do novo Hospital de Barcelos 

Naquele âmbito, os autarcas solicitaram também à direção clínica e administração hospitalar que «as posições de necessidade de construção do novo Hospital de Barcelos pudessem ser também por eles sustentadas no âmbito do grupo de trabalho de acompanhamento já criado». Além disso, os autarcas já pediram audiências à Comissão de Saúde da Assembleia da República e Governo para pressionar o avanço célere do processo.





Notícias relacionadas


Scroll Up