Fotografia: DM

Guimarães Jazz entra em nova década com programação unida pela voz

O Guimarães Jazz abre com concerto da voz poderosa de Diane Reeves.

Rui de Lemos
27 Out 2022

O nome sonante da paisagem estelar do jazz vocal contemporâneo, Diane Reeves, cuja carreira musical foi recentemente homenageada com a atribuição do Jazz Legends Award, abre a programação deste ano do Guimarães Jazz, no dia 10 de novembro, no grande auditório do Centro Cultural Vila Flor. Aquela que é considerada pela crítica a herdeira de um legado de vozes poderosas, a vocalista nativa do Michigan atua em Guimarães acompanhada por um quarteto de músicos de alto nível e dá o mote para um programa onde a presença da voz se repete em vários concertos.

«Há muito jazz cantado nesta edição, o que é raro. Sempre fomos muito céticos em relação a vozes no jazz. Não é qualquer cantor que nos convence. Às vezes, andam na fronteira entre a música de casino e o jazz, e esses cantores não nos agradam muito. Mas este ano há muitas vozes, contrariamente ao que é normal», ilustrou o diretor artístico, Ivo Martins, ontem, na apresentação da programação do festival. Depois de alcançar o estatuto de principal festival de jazz do país, o Guimarães Jazz olha para as mudanças e inovações como novas oportunidades de alcançar um cartaz «mais multidisciplinar e mais abrangente. «Depois de cumprir trinta anos, o festival quer ser sempre mais e não apenas consolidar o que já é de referência para o país», suportou e complementou o vereador da Cultura, Paulo Lopes Silva.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up