Fotografia: DR

Famalicão requalifica adro da igreja na freguesia mais pequena do concelho

Arcebispo de Braga associou-se e valorizou a inauguração da obra de requalificação do adro da igreja de Sezures.

Rui de Lemos
24 Out 2022

O Papa Francisco disse, numa entrevista a moradores de uma favela de Buenos Aires (Argentina) que se vê a realidade melhor da periferia do que do centro. E esta foi a imagem que o Arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, usou, ontem, em Sezures para ilustrar a «maior importância e significância» da bênção e inauguração da obra de reabilitação do adro da igreja da freguesia mais pequena do concelho de Famalicão. «Como disseram os responsáveis autárquicos, esta é uma das periferias desta região e, por isso, ainda mais importância assume a bênção e inauguração desta obra. O adro é este símbolo que nos convoca ao encontro de, o lugar da cultura do encontro, das pessoas entre si, de cada um consigo mesmo, orientado para o sagrado. É lugar de entrada e simultaneamente de saída, como que num cruzamento de culturas, de maneiras de ser, de estar e de pensar, assumindo grande importância, sobretudo neste Dia Mundial das Missões, dizendo a cada um de nós: tu és uma missão», valorizou e apontou D. José Cordeiro, depois de descerrar a placa inaugural daquela requalificação.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up