Fotografia: Miguel A. Lopes/Lusa

Adriano Moreira morre aos 100 anos

Foi o político da história democrática portuguesa com a maior longevidade.

Diana Carvalho
23 Out 2022

Adriano Moreira faleceu este domingo, aos 100 anos. O ex-líder do CDS e vice-presidente da Assembleia da República foi o político da história democrática portuguesa com a maior longevidade, tendo o seu centenário sido celebrado no início do mês de setembro.

«O verdadeiramente fascinante em Adriano Moreira é que, há muito, entrou na História, apesar de toda a sua vida ter sido feita de desencontros históricos. Chegou sempre cedo demais ou tarde demais a esses encontros», escreveu o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no site da presidência, aquando da celebração dos 100 anos do político.

Adriano José Alves Moreira nasceu a 6 de setembro de 1922, em Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança. Advogado, professor universitário de Ciência Política e Relações Internacionais e político português, licenciou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, em 1944, após a qual iniciou a sua carreira profissional na função pública, como jurista no Arquivo Geral do Registo Criminal e Policial, no mesmo ano.

Tornou-se Subsecretário de Estado da Administração Ultramarina de Salazar em 1959 e Ministro do Ultramar, em 1961, cargo em que se manteve até 1963. Já no pós-25 de abril, aderiu ao Partido do Centro Democrático Social (CDS), tendo sido o seu deputado à Assembleia da República. Foi igualmente presidente deste partido de 1986 a 1988 e interinamente de 1991 a 1992. Foi deputado à Assembleia da República até 1995, quando renunciou ao mandato. Em 2015, foi indicado pelo CDS-PP para o Conselho de Estado, exercendo funções até 2019.

Adriano Moreira faleceu este domingo, aos 100 anos.





Notícias relacionadas


Scroll Up