Fotografia: DM

José Moreira da Silva lança livro que pode ser trabalhado com estudantes

Além do livro foi apresentada uma editora nova, a Morfema, um projeto criado por José Moreira da Silva e pelo filho.

Jorge Oliveira
16 Out 2022

José Moreira da Silva lançou ontem a sua mais recente obra literária, “Gramática das Coisas”, numa sessão na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, em Braga.

Trata-se de um livro de crónicas que o autor publicou nos jornais Diário do Minho e Correio do Minho e outros meios, e que surge no seguimento de “A língua move-se”, livro que lançou há dois anos.

Estes textos podem ser trabalhados com alunos do Ensino Secundário e até com estudantes universitários em contexto de aula. 

«Eu escrevo crónicas linguístico-literárias e preocupo-me muito em escrever textos leves, bem humorados, mas rigorosos ao nível científico», assinalou o autor, à margem da sessão.

José Moreira da Silva, que é colaborador do suplemento de Cultura do Diário do Minho, adiantou que o seu próximo livro deverá ser um romance, focado na realidade atual.

Além do livro foi apresentada uma editora nova, a Morfema, um projeto criado por José Moreira da Silva e pelo filho, cujos objetivos são a produção e venda de livro e revistas de âmbito técnico-literário. “Gramática das Coisas” é o primeiro livro publicado sob a chancela das Edições Morfema.

O linguista decidiu avançar com este projeto editorial por sentir que «há falta de editoras em Braga».

A Morfema, disse, tem uma «intenção cultural forte» e quer contribuir para o movimento cultural da cidade. 

O presidente da Câmara de Braga, que também esteve na sessão, saudou José Moreira da Silva pelo arrojo de avançar com este projeto editorial, que considerou «muito necessário para dar apoio à massa crítica, aos talentos que estão no meio literário bracarense».

«Temos muitos autores, bibliotecários que vão promovendo e zelando pelo livro e também livreiros e leitores que procuram os livros, novos e antigos, por isso é necessário que haja condições para dar a conhecer ao mundo esses livros», referiu Ricardo Rio.

O autarca aproveitou para informar que em breve a Câmara de Braga vai apresentar um novo modelo, «mais regulado», de apoio à área editorial, para que os autores de Braga tenham mais visibilidade.

A apresentação de “Gramática das Coisas” coube ao escritor bracarense João Nuno Azambuja que destacou a «atenção que José Moreira da Silva dá a toda a envolvência do meio onde ele vive e aos pormenores como a origem das palavras, o significado das palavras».

João Azambuja recomenda a leitura destas 66 crónicas, algumas das quais considera ser contos e prosa poética.

A sessão contou, na plateia, com alguns escritores de Braga e outros agentes ligados à cultura.





Notícias relacionadas


Scroll Up