Fotografia: DR

Ponte de Lima convida jovens a conhecer os garranos

A ação visa sensibilizar e semear nas gerações mais novas a consciência da necessidade de proteger os garranos e o seu ‘habitat’.

Redação/Lusa
15 Out 2022

Aprender mais sobre o cavalo garrano, o último semisselvagem da Europa, descobrir como preservar a raça ou realizar um volteio são os objetivos da experiência que a Câmara de Ponte de Lima vai proporcionar, amanhã, a crianças e jovens.

Contactado pela agência Lusa, Paulo Pimenta, da Câmara de Ponte de Lima destacou que a ação “Queres viver Uma Aventura com o Garrano?”, destinada a crianças e jovens entre 10 e 15 anos, consiste na realização de um «‘peddy-paper’ que, simultaneamente, de forma lúdica e didática, ensina aos mais pequenos as características, comportamentos e necessidades específicas desta espécie autóctone».

Paulo Pimenta, técnico da Câmara de Ponte de Lima, sublinhou que a «ação de educação e sensibilização ambiental», já realizada em Viana do Castelo e Caminha, visa semear nas gerações mais novas a consciência da necessidade de proteger o garrano e o seu ‘habitat’.

O desafio “Queres viver Uma Aventura com o Garrano?” é uma das ações do projeto Vilas e Aldeias Equestres entre Arga e Lima, que além de Ponte de Lima, envolve os municípios de Caminha e Viana do Castelo.

O projeto é cofinanciado pelo programa Valorizar, do Turismo de Portugal, e tem uma dotação global de cerca de 135.000 euros. As ações começaram a ser implementadas em julho de 2020 e prolongam-se até junho de 2023, com vista à «construção de um destino equestre internacional».

Para o início de 2023, está programada a realização de diversas sessões de apresentação do Selo “O Seu Cavalo é Nosso Convidado”, visando esclarecer e mobilizar uma rede de operadores turísticos para a construção de um produto equestre no Alto Minho.

Na quinta-feira, foi iniciada a discussão pública, publicada em Diário da República, pelo prazo de 30 dias, do projeto do regulamento para atribuição do Selo Equestre.

Fabíola Oliveira explicou que o projeto Vilas e Aldeias Equestres entre Arga e Lima e a investigação científica, em curso, sobre equinologia, assente no garrano, «têm uma ligação grande» à criação da futura Área de Paisagem Protegida da Serra de Arga”.

Aquela classificação, aprovada em 2020 pelas câmaras de Viana do Castelo, Caminha, Ponte de Lima e Vila Nova de Cerveira, «aguarda-se para breve».

Serra d’Arga chegou a ter 300 garranos mas atualmente existem menos de 20

A Serra d’Arga, que abrange Viana do Castelo, Caminha, Ponte de Lima e Vila Nova de Cerveira, atualmente em fase de classificação como Área de Paisagem Protegida, já chegou a ter 300 garranos, mas agora contam-se menos de 20.

Em resposta escrita, ontem, a um pedido de esclarecimento enviado pela agência Lusa, a Associação de Criadores de Equinos da Raça Garrana (ACERG) sustentou os números na investigação de José Leite, secretário técnico do Livro Genealógico da Raça Garrana.

Segundo a ACERG, «no distrito de Viana do Castelo existem, atualmente, 892 garranos, num total de 137 criadores, sendo que o concelho com maior número de exemplares é Arcos de Valdevez».

Já a nível nacional, existem 1.836 garranos (1.619 fêmeas e 217 machos), num total 456 criadores.

“O solar da raça Garrana é o Minho e Trás-os-Montes”, sustentou a associação com sede em Vieira do Minho, no distrito de Braga.

O garrano é uma raça protegida devido ao risco de extinção, encontrando-se, por isso, muito poucos no meio selvagem ou na posse de criadores. Este animal tem membros e orelhas curtas e o perfil da cabeça é reto ou côncavo.





Notícias relacionadas


Scroll Up