Fotografia: DM

Parceria poupa investimento de um milhão à Arquidiocese

Revelou o económo Roberto Rosmaninho Mariz.

Joaquim Martins Fernandes
6 Out 2022

O Ecónomo da Arquidiocese de Braga, cónego Roberto Rosmaminho Mariz, revelou ontem que o projeto da criação da Comunidade de Energia Renovável formalizada ontem no Paço Episcopal «não tem qualquer custo financeiro» para a Igreja de Braga, que acumula ainda uma economia «de praticamente 50% na fatura energética».

«Os encargos com a instalação dos 2 100 painéis fotovoltaicos, que tem um custo na ordem do um milhão de euros, são integralmente assumidos pela “cleanwatts”», disse Roberto Rosmaninho. O responsável pela assinatura dos contratos que vão permitir a colocação de painéis no Paço Arquiepiscopal, no Instituto Diocesano de Apoio ao Clero (Casa Sacerdotal), no Seminário Nossa Senhora da Conceição, no Seminário Conciliar, no edifício do antigo Seminário na Rua de Santa Margarida e na Lavandaria da Cooperativa João Paulo II acrescentou que a parceria com a “cleanwatts” resultou de «uma negociação iniciada há cerca de sete meses».

«Além de não custar nada à Arquidiocese de Braga, a concretização deste projeto permitira uma redução dos custos relacionados com o consumo de energia», sublinhou Roberto Rosmaninho, que falava na cerimónia de assinatura dos contratos que oficializaram a criação da Comunidade de Energia Renovável da Arquidiocese de Braga.

Deixando claro que o propósito é «alargar, no futuro, o projeto de criação de energia verde», o Ecónomo da Arquidiocese destacou também a vertente social da Comunidade de Energia. «Além de ir alimentar a Arquidiocese com energia limpa, este projeto possibilitará produzir energia suficiente para que a Comunidade forneça ainda energia a 650 famílias carenciadas», destacou.

Roberto Rosmaninho Mariz referiu também que a escolha da data de 4 de outubro para a formalização do projeto não foi uma opção ao acaso. «A assinatura dos contratos ocorre dia 4 de outubro pelo grande simbolismo, dado que se trata de uma medida também com benefícios ao nível ecológico. Tem o objetivo de contribuir para o incentivo da sustentabilidade ambiental e foi escolhido, simbolicamente, o dia 4 de outubro, por ser o dia S. Francisco de Assis e dia da Natureza», explicou.

Basílio Simões, da “cleanwatts”, destacou também a vertente social do projeto da Arquidiocese de Braga como «uma das principais» facetas. «A Arquidiocese tem também como missão apoiar as famílias carenciadas e esta vertente torna-se ainda mais relevante», disse.





Notícias relacionadas


Scroll Up