Fotografia: CM Valença

Antiga alfândega Valença/Tui recebe centro de património imaterial galego-português

O «valor final» do investimento na criação da nova estrutura ainda não está definido.

Redação/Lusa
6 Out 2022

O antigo edifício da alfândega, junto à centenária ponte internacional sobre o rio Minho, que liga Valença, no Alto Minho e, Tui, na Galiza, vai acolher um Centro de Património Imaterial galego-português. O «valor final» do investimento na criação da nova estrutura ainda não está definido, realça José Manuel Carpinteira.

O centro PCI «será um centro de documentação e atividades como oficinas, concertos, palestras, exposições temporárias», entre outras atividades e «terá uma exposição permanente centrada em cinco áreas temáticas, tradições orais, contos e lendas, cultura marítimo-fluvial, cultura agrária e, ciclo festivo anual». Este Centro será um catalisador de todos os projetos museológicos neste território transfronteiriço, como o Centro Árabe, a Área de Memória e Fronteira, Aquamuseu do Minho, entre outros.

A instalação do centro, de acordo com a nota enviada à imprensa, resulta da assinatura de um protocolo de cooperação entre a Câmara Municipal de Valença, o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Rio Minho e a Associação Cultural e Pedagógica Ponte…nas Ondas!, no qual a Câmara de Valença compromete à associação um espaço para a instalação de um repositório cultural do Património Cultural Imaterial (PCI) transfronteiriço. Segundo a autarquia do distrito de Viana do Castelo, «esta nova estrutura será desenvolvida no âmbito do projeto europeu Livhes – Sudoe que escolheu o trabalho da Associação Ponte…nas Ondas! como experiência de boas práticas representativa da eurorregião».

O AECT Rio Minho vai financiar, a partir deste projeto europeu, a construção duma plataforma web, que deverá estar concluída até 31 de março de 2023, refere o protocolo. Já a Associação Ponte … nas Ondas!, «como principal beneficiária dos recursos disponibilizados pela Câmara de Valença e pelo AECT Rio Minho, compromete-se a disponibilizar gratuitamente todo o material (textos, fotos, imagens) necessário à criação do Centro do Património Cultural Imaterial da Galiza-Norte de Portugal, tanto na sua versão física como virtual».

Na nota, a autarquia destaca que «a iniciativa será cofinanciada pelo programa Interreg-Sudoe 2014-2020», referindo que, além do novo centro, «o protocolo contempla, ainda, o desenvolvimento de ações de preservação do Património Cultural Imaterial». «O centro proposto pela Associação Cultural e Pedagógica Ponte…nas Ondas! servirá de repositório cultural, destinado ao património cultural imaterial galego-português. Com este centro pretende-se um espaço vivo, muito além do conceito de museu tradicional, com exposições temporárias, projeções, palestras, concertos, entre outros», refere ainda.





Notícias relacionadas


Scroll Up