Fotografia: Francisco de Assis

Casa de Saúde do Bom Jesus apresentou novas instalações e respostas para a saúde mental

Novas instalações da Casa de Saúde custaram entre 11 e 12 milhões de euros, e representam uma melhoria da resposta à saúde mental na região.

Francisco de Assis
30 Set 2022

A Casa de Saúde do Bom Jesus, em Braga, celebrou ontem 90 anos ao serviço da comunidade bracarense e não só, com uma série de atividades e juntando  as mais altas personalidadades civis e religiosas de Braga e da região. O 90.º aniversário fica marcado pela bênção, apresentação/inauguração e das novas instalações, mas também pela promessa de novas respostas para a saúde mental, cada vez mais virada para o exterior, numa harmonia sempre presente entre a ciência e a caridade. 

O edifício ontem inaugurado, num investimento que ronda os 11 a 12 milhões de euros, tem três pisos, e representa um aumento da capacidade para mais 180 utentes, sobretudo mulheres, mas também para homens, para internamentos de curta duração. Mas mais do que as instalações físicas, a nova casa significa, igualmente, melhor qualidade do tratamento da doênça mental e mais respostas para a comunidade.

A bênção do novo edifício, também na freguesia de Nogueiró, junto à variante de Lamaçães, foi benzido pelo Arcebispo de Braga, D. José Cordeiro.  Além do prelado, na cerimónia estiveram Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga; João Ferreira, diretor distrital da Segurança Social de Braga; Pedro Morgado, coordenador Regional do Norte da Saúde Mental, entre outras entidades.

De salientar ainda as anfitriãs, irmã Sílvia Moreira, presidente do Instituto das Irmãs Hospitaleiras de São João de Deus; e a irmã Maria do Sameiro, superiora da Casa de Saúde do Bom Jesus de Braga.

Depois da eucarista de manhã, presidida por D. José Cordeiro, à tarde, a festa começou com animação do “Tamborilar”, grupo de percussão constituído por utentes da Casa de Saúde, numa clara amostra de integração na sociedade e da importância das atividades lúdicas e ocupacionais existentes na casa.

A propósito das novas instalações, a Irmã Superiora referiu que esta era uma necessidade sentida há muito. Não só para aumentar a capacidade da casa, mas principalmente para dar melhores condições aos utentes. «Neste momento temos cerca de 400 utentes, 180 dos quais neste novo edifício, que representa uma mais-valia para a instituição. Temos quartos duplos e triplos».

De acordo com esta responsável, as novas instalações, que já estão em pleno funcionamento, custaram entre 11 e 12 milhões, apenas com dinheiro do Instituto das Irmãs Hospitaleiras. «Fizemos um empréstimo e vamos pagando aos poucos. Não é fácil, porque temos 350 colaboradores», o que representa uma fatura mensal pesada.

A freira justificou a inauguração por ocasião dos 90 anos, pela necessidade de alguma festa, que é importante também para a saúde mental.

«A saúde mental é o pilar de todo o sistema de saúde. E todos nós somos frágeis, não só em termos físicos e mental. Este é um momento para nos juntarmos todos, para convivermos: utentes, familiares e colaboradores».  

Centro de Dia para a saúde mental 

A irmã Sameiro deu conta ainda de algumas novas respostas para as saúde mental, nomeadamente um projeto para um Centro de Dia para pessoas com doênça mental, mas também serviço domiciliário nesta área.

Em relação ao Centro de Dia, vai ficar nas novas instalações. O projeto já foi enviado para a Segurança Social e pode arrancar logo que a resposta chegue, se ela for positiva, conforme fez questão de salientar.

Até porque, esta é uma resposta que de certa forma já funcinou, mediante o apoio da Fundação Lá Caixa.

A presidente do Instituto das Irmãs Hospitaleiras recordou os princípios que regem o tratamento. 





Notícias relacionadas


Scroll Up