Fotografia: DR

Cabeceiras quer valorizar floresta para captar novos investimentos

Cabeceiras de Basto pede apoio ao Governo para defender e valorizar o elevado potencial da floresta do concelho.

Rui de Lemos
30 Set 2022

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto aproveitou, ontem, a sessão solene comemorativa do Dia do Município para destacar o elevado valor ambiental, socioeconómico e paisagístico da floresta do concelho. Um património que Francisco Alves está empenhado em preservar, defender e valorizar para alavancar projetos e atrair novos investimentos.

«Estando nós num território com uma grande mancha florestal, temos o dever e a obrigação de a proteger e valorizar», sublinhou, ontem, o edil Francisco Alves, no salão nobre do Município, perante o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, e uma plateia de autarcas e ilustres convidados. O autarca acrescentou que Cabeceiras de Basto «é um concelho com aptidão para a floresta, uma das maiores riquezas do nosso concelho, que tem de ser preservada, defendida e valorizada».

Num tempo marcado pelo a «sarar das feridas causadas por dois longos e penosos anos de pandemia Covid-19», em que «fomos confrontados com uma nova pandemia – a guerra», Francisco Alves notou a presença de «uma crise energética, económica e financeira» que reclama investimentos e apoios às populações. Neste contexto, o presidente da Câmara de Cabeceiras de Basto apontou que «vemos a floresta como um desafio e uma oportunidade para alavancar novos projetos e captar novos investimentos. Reconhecemos-lhe um potencial enorme que queremos aproveitar e valorizar», preconizou.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up