Fotografia: FP Canoagem

José Ramalho quer revalidar título mundial de maratonas ‘short race’

Os Mundiais de maratonas vão juntar 890 canoístas oriundos de 36 países.

Pedro Vieira da Silva / Lusa
28 Set 2022

O canoísta José Ramalho pretende revalidar na quinta-feira, em Ponte de Lima, o título mundial de K1 ‘short race’, na especialidade de maratonas, embora admita que numa prova destas características “tudo pode acontecer”.

“É uma competição muito imprevisível, uma prova muito curta, com duas portagens e um percurso de 3,4 quilómetros com muitos atletas à mistura. Tudo pode acontecer, porém, como é óbvio, estarei lá para lutar pelos lugares cimeiros”, disse, à Lusa.

Aos 39 anos, José Ramalho, do CN Prado, é uma referência internacional nesta vertente da canoagem, fruto dos sete títulos europeus em K1 (em 2011, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2021), além de duas de prata, em 2009 e 2013, apesar de lhe faltar o cetro mundial, competição na qual tem vários pódios.

“São as verdadeiras maratonas [30 quilómetros], às quais me dediquei a vida inteira. Sábado espero estar na máxima força no K1, para disputar as medalhas, o mesmo para domingo no K2 com o Fernando Pimenta. Decidimos fazer equipa e está a correr bastante bem. Temos boas expectativas”, assumiu.

O vilacondense, que foi bronze nos Europeus deste ano, considera ainda que competir em Portugal “faz toda a diferença e pode ser, sem dúvida, uma mais-valia”, confiando que vai ter o apoio de familiares, amigos e de todos os amantes da canoagem.

Em termos de maratonas, Portugal já organizou vários europeus e mundiais desde Crestuma, Vila Nova de Gaia, em 2009, passando posteriormente pela Via de Prado, em Vila Verde, Viana do Castelo e agora Ponte de Lima, que também já organizou um Campeonato da Europa.

Os Mundiais de maratonas vão juntar 890 canoístas oriundos de 36 países.





Notícias relacionadas


Scroll Up