Fotografia: Francisco de Assis

Jornada Mundial da Juventude em Portugal tem de mostrar país «mestre de acolhimento»

Desafia D. João Lavrador, no encerramento das Jornadas de Comunicação Social, que terminaram ontem em Fátima.

Francisco de Assis (com Ecclesia)
24 Set 2022

Terminaram ontem, com um «balanço positivo» as Jornadas Nacionais de Comunicação Social, que decorreram nos últimos dois dias na ‘Domus Carmeli’, em Fátima, sob o tema “Comunicar a JMJ Lisboa2023”. Na sessão de encerramento. D. João Lavrador, presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais e bispo de Viana do Castelo, considerou, em jeito de desafio, que a Jornada Mundial da Juventude ( JMJ) que vai decorrer no próximo ano em Lisboa, tem de mostrar que é «mestre de acolhimento» em todos os aspetos.

Até porque, recordou o prelado, é do interesse de todos que tudo corra bem. «Todos estamos interessados neste acontecimento da JMJ. É um acontecimento de todos e para todos», afirmou, sublinhando que, neste encontro mundial de jovens, Portugal, que deve receber cerca de um milhão de pessoas, venha a ser «mestre de acolhimento e de expansão de uma cultura humanista».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up