Fotografia: Avelino Lima

Braga já acolheu e apoiou perto de duas centenas de deslocados ucranianos desde início da guerra

Braga foi hoje palco de uma sessão de solidariedade para com a cidade ucraniana de Ivano-Frankivsk, com a qual está geminada desde 2017.

Rita Cunha
23 Set 2022

Desde o início da guerra na Ucrânia, a Associação Centro Social e Cultural Luso-Ucraniana já apoiou 191 pessoas, pertencentes a 59 agregados familiares. Este apoio, só possível através de um trabalho em rede que envolve diversas entidades e a sociedade civil, efetuou-se em diversas vertentes como no acesso a serviços, na tradução, no alojamento e distribuição de refeições e bens alimentares.

Estes números foram divulgados pelo padre Vasyl Bundzyak, responsável pela associação, o qual admite que o número poderá ser maior, já que nem todos os refugiados por ali passam. Ainda assim, os dados dão conta de que, desde o início de maio, a associação já apoiou mais de 150 deslocados, sendo que, destes, 53 são crianças e 87 adultos. No fim de junho, o número baixou para 153 (71 crianças e 82 adultos) e, este mês, para 130.

O responsável, que falava hoje no decorrer de uma sessão em solidariedade com a cidade ucraniana de Ivano-Frankivsk, com a qual Braga tem um acordo de geminação desde 2017, aproveitou para agradecer a todos aqueles que apoiaram e continuam a apoiar os seus compatriotas, não só acolhendo-os em Portugal como também enviando ajuda humanitária. «Isto é mais uma confirmação de que o povo português tem o coração aberto para apoiar», disse.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up