Fotografia: Diana Carvalho

Fábio Coelho e Jaime Faria «bastante entusiasmados» para os quartos de final de pares

Fábio Coelho e Jaime Faria conversaram com o Diário do Minho sobre o encontro que os colocou nos quartos de final do quadro principal de pares do Braga Open 2022.

21 Set 2022

O par português Fábio Coelho (411 no ranking da vertente) e Jaime Faria (303.º) derrotaram esta tarde os segundos cabeças de série do Braga Open 2022 na vertente de pares, Inigo Cervantes (237.º) e Oriol Roca Batalla (207.º). A dupla passou assim aos quartos de final do quadro principal da variante de pares do torneio e contou ao Diário do Minho o significado desta vitória.

Diário do Minho – Derrotaram os segundos cabeça de série e seguem para os quartos de final do torneio. Como é que correu este jogo?

Jaime Faria – Correu bastante bem, bastante positivo, foi o primeiro jogo a este nível com o Fábio. Já tínhamos jogado em torneios Future, foi a primeira vez que jogamos Challenger juntos. Bastante positivo, bom balanço, primeiro set mal perdido. Aguentamos bem no jogo e depois fomos para o set das decisões e mostramos um bom nível, salvámos ali uns match points e conseguimos sair por cima.

DM – Qual é a sensação de seguirem em frente numa prova maior do que as que já têm conquistado?

Fábio Coelho – É uma sensação bastante boa. Como o Jaime disse e bem é a primeira vez que estamos a jogar a este nível juntos. Também era um bom desafio para perceber em que nível estamos nestes circuitos maiores. Sabemos o nosso nível no nosso circuito, o Future, estamos bastante bem, temos ganho bastantes títulos e agora no Challenger derrotamos os segundos cotados e estamos bastante entusiasmados para a próxima ronda.

DM – Começaram esta parceria há pouco tempo e têm conquistado bons resultados. Qual é o segredo para esta boa colaboração?

Fábio Coelho – Eu acho que nos estamos a dar muito bem, tanto dentro como fora de campo. Como tenho vindo a referir nas outras entrevistas, acho que não há um segredo que vos possa dizer. Surgiu de ambos a química e está a resultar bastante bem dentro de campo, estamos a fazer boas jogadas, sobretudo estamos a desfrutar e acho que, no fundo, é esse o segredo.

DM – E como é que surgiu esta parceria?

Jaime Faria – Curiosamente eu fiquei sem parceiro num torneio em Castelo Branco e perguntei ao Fábio se ele queria jogar comigo. Nunca tínhamos jogado, estávamos com as expectativas baixas, correu bem e ganhámos o torneio. A partir daí, temos dois títulos em quatro torneios e agora o primeiro torneio a um nível mais alto e estamos bem encaminhados.





Notícias relacionadas


Scroll Up