Fotografia: António Valdemar/DM

Ribeira do Neiva imperial nas bolas paradas

A equipa ribeirense desequilibrou o jogo nas bolas paradas, de onde resultaram os lances que ditaram os seus primeiros três golos.

António Valdemar
18 Set 2022

O Ribeira do Neiva iniciou o campeonato da Divisão de Honra, Série B, com uma vitória expressiva (1-4) diante do Este FC. 

A equipa ribeirense desequilibrou o jogo nas bolas paradas de onde resultaram os lances que ditaram os seus primeiros três golos. Dois deles na sequência de livres e outro num pontapé de campo olímpico. 

Mas não foi apenas nas bolas paradas que a equipa de Zequinha se destacou, pois defensivamente também esteve quase irrepreensível não deixando que a equipa bracarense chegasse com perigo junto da baliza defendida por Peludo. 

O Este FC, que jogou em Espinho, devido às obras que estão a decorrer no campo 25 de Abril, entrou mais pressionante, com mais bola, mas a verdade é que também não soube muito bem o que fazer com ela nos últimos metros. Ainda teve um bom remate de longa distância na primeira parte, mas isso é pouco para uma equipa que quer andar nos primeiros lugares.

É verdade que o Ribeira do Neiva também só conseguiu chegar à baliza de João Silva nas bolas paradas, mas quando o fez foi com uma eficiência tremenda. Aos 21 minutos, num livre estudado, Andrezinho, com um cruzamento açucarado, colocou a bola no segundo poste, onde surgiu Abílio a cabecear para o fundo da baliza. E, volvidos 10 minutos, outra vez de livre, agora apontado por Bogas, o central Vítor fez o segundo para a sua equipa. 

Na segunda parte, Filipe Silva fez três alterações no onze para tentar agitar as águas. Só que logo aos dois minutos levou com o terceiro num canto direto apontado por Bogas, um lance em que João Silva tinha a obrigação de fazer muito melhor.

O jogo ficou muito mais complicado para os homens da casa que mesmo assim não atiraram a “toalha ao chão”, procurando chegar ao golo que os relançasse de novo na discussão do resultado. Mas só o conseguiram quando o relógio já marcava 81 minutos, por intermédio de Xano e ainda acabaram por sofrer mais um já nos acréscimos num contragolpe concluído da melhor forma por Rafa, que tinha entrado na segunda parte. 





Notícias relacionadas


Scroll Up