Fotografia: DM

Cerca de 20 mil estudantes privilegiaram o Ensino Politécnico

IPCA obteve o melhor resultado de sempre relativamente à colocação de novos alunos no ensino superior.

12 Set 2022

A presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), Maria José Fernandes, considerou ontem que a colocação de cerca de 20 mil novos estudantes no Ensino Politécnico são «reveladores do excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelas diversas instituições no Ensino Superior Politécnico, com uma credibilidade reforçada sustentada num ensino de qualidade, atraindo, assim, cada vez mais candidatos que reconhecem a excelência do Politécnico».

Maria José Fernandes, que é também presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) destaca que o número de colocados registou um valor muito interessante atendendo a que o número de candidatos, este ano, foi menor em termos globais.

Citada em nota de imprensa enviada às redações, a presidente do CCISP, refere que se verifica «a entrada de mais estudantes no sistema, o que é um fator de grande impacto e de reconhecimento por parte dos estudantes e suas famílias da importância de ingressar no ensino superior».

De acordo com os dados ontem conhecidos, constata-se que o número de vagas preenchidas nos Politécnicos situados em regiões de menor densidade demográfica aumentou cerca de 6% (13351 estudantes colocados). Em termos globais, nesta primeira fase, no Politécnico foram preenchidas 83% das vagas iniciais disponibilizadas, existindo ainda vagas para a 2.ª fase para os estudantes que não obtiveram a colocação pretendida.

«É um incentivo importante para as instituições afiliadas no CCISP e um sinal claro de que o Ensino Superior Politécnico contribui para o desenvolvimento das regiões e está alinhado com o mercado de trabalho, sendo reconhecido pelos estudantes na hora de optaram pelo prosseguimento de estudos após a conclusão do Ensino Secundário», sustenta Maria José Fernandes.

Com uma rede politécnica que cobre praticamente a totalidade do território nacional, a presidente do CCISP afirma que «os Politécnicos são cruciais para a coesão de Portugal, como um todo, mais qualificado e competitivo».

 

IPCA procura fazer a diferença

Relativamente ao IPCA, Maria José Fernandes destacou, que os resultados alcançados pela instituição, são «fruto do crescimento consolidado e da afirmação a nível nacional do IPCA».

«Procuramos fazer a diferença com a nossa oferta formativa, caminhamos lado a lado com as empresas e estamos muito focados na qualificação da população jovem e adulta. Privilegiamos a investigação aplicada e a internacionalização desde os primeiros anos de frequência do IPCA, criando o ambiente necessário para o bom desempenho académico dos estudantes que chegam ao IPCA», referiu Maria José Fernandes.

Verificou-se um significativo aumento das notas dos estudantes colocados, tendo o curso de licenciatura em Gestão de Empresas registado a nota mais alto do último colocado (162,9), seguindo-se os cursos de Solicitadoria (158,4), de Design Gráfico (156,7) e de Contabilidade (151,4).

Para a 2.ª fase do CNA o IPCA disponibiliza 31 vagas, distribuídas pelo curso de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores e pelo curso de Engenharia e Gestão Industrial.

 

Matrículas online

Como já é habitual, as matrículas dos novos estudantes do IPCA, colocados no 1.º ano pela 1.ª vez através do Concurso Nacional de Acesso, realizam-se exclusivamente online.

As matrículas iniciam-se amanhã e prolongam-se até ao dia 16 de setembro (sexta-feira) e serão organizadas por curso/dia, de acordo com a informação divulgada na página do IPCA, em ‘Matrículas 1.º ano 1.ª vez’.





Notícias relacionadas


Scroll Up