Fotografia: DR

Custos de construção sobem 13,4% em julho

Subida dos custos de construção de habitação nova deve-se, em grande parte, ao aumento nos materiais, principalmente os produtos cerâmicos.

João Pedro Quesado
9 Set 2022

Os custos de construção de habitações novas subiram 13,4% em julho, face ao mesmo mês de 2021. Enquanto o custo da mão de obra subiu 7.7%, o preço dos materiais disparou 17,5%, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Face à informação provisória dos custos no mês de junho, o custo total de construção, assim como o dos materiais, subiu 1,9%, com a mão de obra a ficar 1,8% mais cara. Ambos os índices estão nos valores mais altos desde janeiro de 2000, data de início da série estatística do INE.

Esta é a maior subida, em termos homólogos, dos custos da mão de obra desde abril de 2021, quando esta encareceu em 8,4%. O mês com a maior subida dos custos dos materiais continua a ser abril de 2022, que viu aumento de 20,4%.

Os materiais que mais contribuíram para o aumento de julho são os produtos cerâmicos, que subiram cerca de 70% face a julho do ano passado. Enquanto o gasóleo teve uma subida acima dos 30%, as madeiras e derivados, o cimento, os aglomerados e ladrilhos de cortiça, as obras de carpintaria e os tubos PVC tiveram crescimentos superiores a 20%.

Índice de Custos de Construção de Habitação Nova desde julho de 2019.

Índice de Custos de Construção de Habitação Nova entre julho de 2019 e julho de 2022. Fonte: INE.





Notícias relacionadas


Scroll Up