Fotografia: DR

Diálogo histórico sem precedentes na história da Igreja

Vaticano apresentou a próxima fase do Sínodo dos Bispos, a Continental, destacando importância de continuar a ouvir e discernir.

Rita Cunha
26 Ago 2022

A segunda etapa do processo sinodal 2021-2023 – a Fase Continental do Sínodo dos Bispos – foi hoje apresentada, tendo ficado patente não só as mais-valias deste processo de escuta como, também, o precioso contributo de todos num processo que mostra uma Igreja «viva» e empenhada numa mudança.
A fase continental do Sínodo sobre Sinodalidade, que tem como tema “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”, decorrerá até março de 2023. Até ao passado dia 15 de agosto decorreu a primeira fase, na qual o povo de Deus foi chamado a dar o seu contributo.

Fazendo um balanço do caminho percorrido, o Secretário Geral da Secretaria do Sínodo, o cardeal Mario Grech, lembrou que a partir da síntese realizada é possível compreender «quanto trabalho poderemos fazer para que todos sejamos mais responsáveis e participemos mais». «Estamos no início de um caminho eclesial que requer paciência e exige que tomemos consciência de que todos podemos participar», disse ontem, na conferência que teve lugar na Sala de Imprensa da Santa Sé, sublinhando que «o importante é mostrar que o caminho da Igreja começa com a escuta».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up