Fotografia: Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária

16 pessoas morreram em acidentes durante a campanha “Viajar sem pressa”

Durante uma semana, foram registados 2 849 acidentes com vítimas.

Redação/Lusa
24 Ago 2022

Dezasseis pessoas morreram e mais de mil ficaram feridas durante a campanha “Viajar sem pressa”. A ação terminou esta terça-feira e permitiu detetar mais de 19 500 veículos em excesso de velocidade.

Num balanço da campanha, que decorreu entre 16 e 23 de agosto e envolveu a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP), as autoridades revelam que foram fiscalizados por radar cerca de 3,3 milhões de veículos. Foram registados 2 849 acidentes com vítimas, dos quais resultaram 16 mortos, 70 feridos graves e 939 feridos leves.

Relativamente ao período homólogo de 2021, verificaram-se mais oito acidentes, menos duas vítimas mortais, mais sete feridos graves e menos 13 feridos leves.

A campanha “Viajar sem pressa” pretendeu alertar para os riscos da condução em excesso de velocidade, uma das principais causas dos acidentes nas estradas. A iniciativa contou com a participação do serviço da administração regional da Região Autónoma da Madeira na realização de ações de sensibilização.

No âmbito da campanha, foram sensibilizados 432 condutores e passageiros, a quem foram transmitidas mensagens como “A velocidade é a principal causa de um terço de todos os acidentes mortais” e “Numa viagem de dez quilómetros, viajar a 45km/hora ou a 50km/hora permite ganhar apenas 1 minuto e 20 segundos. Viaje sem pressa”.





Notícias relacionadas


Scroll Up