Fotografia: Arquivo DM

Presidente de Monção quer vigilância apertada a pirómanos

Incêndio obrigou a mobilizar meios para o concelho.

Redação/Lusa
23 Ago 2022

O presidente da Câmara de Monção defendeu ontem para os pirómanos a mesma vigilância aplicada à pedofilia, que «reduziria em 90%» o número de fogos no país, apontado o exemplo do incêndio que lavrava desde domingo no concelho.

«Tal como existe uma lista para a pedofilia e para outras áreas, porque não nesta também? Isto tem custos elevadíssimos para o país e tem de ser repensado. A forma como nós fazemos a vigilância, como nós fazemos o acompanhamento destas situações, deve ser feita, senão andamos todos nós a investir meios, tempo e dinheiro para depois não valer absolutamente nada porque todos os anos acontece a mesma coisa», afirmou à agência Lusa António Barbosa.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up