Fotografia: DM

Bispo auxiliar de Braga alerta para excesso de mortes de migrantes

Na homilia da Eucaristia que se seguiu à peregrinação dos emigrantes ao Santuário do Sameiro.

Joaquim Martins Fernandes
22 Ago 2022

Várias centenas de pessoas participaram ontem na Peregrinação dos Emigrantes ao Santuário do Sameiro. À espera da chegada da Senhora, que saiu da Basílica do Bom Jesus do Monte para uma procissão de hora e meia, estavam alguns milhares de pessoas espalhadas pela escadaria do santuário mariano e pelo terreiro da Cripta, que se encheu de fiéis para a celebração eucarística que foi presidida pelo bispo auxiliar de Braga, D. Nuno Almeida, e concelebrada pelo presidente da Confraria do Sameiro, cónego José Paulo Abreu.

Com os emigrantes no centro da celebração, D. Nuno Almeida focou a sua homilia nos dramas que vive quem deixa o seu país em busca de um mínimo de dignidade humana. «São milhares de mulheres e crianças que morrem no mar», sublinhou o prelado bracarense, notando que «os fluxos migratórios são muito complexos».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up