Fotografia: DR

Fernando Pimenta medalha de bronze na prova de K1 500

No final da prova, o canoísta de Ponte de Lima disse estar «satisfeito mas não completamente realizado».

Redação/Lusa
19 Ago 2022

O canoísta Fernando Pimenta conquistou hoje a medalha de bronze na prova de K1 500 metros dos Europeus, na primeira das quatro finais que vai disputar em Munique, na Alemanha.

A competir na pista sete, Pimenta cumpriu a prova em 1.38,803 minutos, mais 0,791 segundos do que o vencedor, o alemão Jacob Schoff (1.38,012), enquanto a medalha de prata foi para o húngaro Adam Varga (1.38,237).

O português já tinha sido medalha de bronze nesta distância nos mundiais do Canadá, há duas semanas.

O limiano vai disputar também a final do olímpico K1 1.000, amanhã, às 12h00, horas de Lisboa, três horas e 25 minutos antes da regata de K1 5.000, enquanto a de K2 1.000, com João Duarte, é só no domingo, às 10:15.

O número recorde de provas que Pimenta está a disputar nestes Europeus – quatro eventos, sendo que em dois teve de passar pelo crivo das meias-finais – foram assumidas pelo duplo medalhado olímpico português como um teste aos limites de resistência do seu corpo em ano propício a experiências, antes do apuramento para Paris2024.

A segunda edição dos campeonatos Europeus multidesportos está a decorrer em Munique até domingo e reúne nove modalidades, estando Portugal representado em sete, nomeadamente atletismo, canoagem, ciclismo, ginástica artística, remo, ténis de mesa e triatlo.

Esta é a quarta medalha de Portugal até ao momento, depois das duas de ouro, através de Pedro Pablo Pichardo, no triplo salto, e de Iúri Leitão, no scratch do ciclismo de pista, da de prata, por Auriol Dongmo, no lançamento do peso, e agora a de bronze de Fernando Pimenta, no K1 500.

 

«Posso estar contente mas não realizado»

O canoísta de Ponte de Lima não ficou totalmente satisfeito com a sua prestação. “Sem dúvida que posso estar contente, mas não completamente feliz e realizado. Quando estamos na final, o pensamento é sempre dar o melhor e lutar pelo título. E eu fiz isso”, reagiu, minutos após ter subido ao pódio.

“A medalha cai sempre muito bem, porém, num pódio, o terceiro lugar dá-me a estanha sensação de que sou o elo mais fraco dos três. Mas posso estar muito contente, pois não é a minha distância de eleição, a que trabalho”, esclareceu.

O limiano assumiu ter cometido um “pequeno erro na largada”, do qual recuperou a ponto de ter assumindo a “liderança”, antes de “abrandar para respirar e aguentar os últimos metros”, altura em que se tornou complicado discutir o ouro.

“Na parte final, já não havia nada a fazer. Dei o meu máximo. Estou contente pela minha 119.ª medalha internacional, de bronze, num campeonato da Europa em edição muito especial em Munique”, disse igualmente medalha de bronze nos mundiais nesta distância, referindo-se ao evento multidesportos.





Notícias relacionadas


Scroll Up