Fotografia: DM

Empresários da restauração otimistas mas alertam para aumento da inflação

Meses de verão têm sido animadores, mas é preciso acautelar a “época baixa” e o aumento generalizado dos custos.

Rita Cunha
11 Ago 2022

Depois da tempestade vem a bonança. Assim diz o ditado, que vem confirmar o trajeto do setor da restauração nos últimos dois anos e meio, marcados por muitas incertezas devido a uma pandemia que a todos apanhou de suspresa. O verão passado já tinha trazido alguma esperança, apesar de permanecerem ainda algumas restrições. Mas o inverno ainda foi duro e agora, com o fim de todas as limitações, os empresários do setor parecem, finalmente, “ver a luz ao fundo do túnel” e poder respirar de alívio. A esperança em dias melhores ganha cada vez mais contornos, como se pode comprovar pelas esplanadas repletas de consumidores. Tiago Carvalho gere dois restaurantes em Braga, um no centro e outro na periferia. Ao Diário do Minho, não hesitou em confirmar que, este verão, «a afluência tem sido bastante interessante», registando-se «uma grande procura». Segundo explicou, nota-se particularmente uma afluência de turistas e de emigrantes que deixam de ficar mais confinados às suas terras de origem e aproveitam para visitar as cidades das imediações.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]
 





Notícias relacionadas


Scroll Up