Fotografia: Miguel Vargas

Catedral de Bragança apresenta arte como caminho para Deus

Catedral traduz a identidade da região, desde os materiais da construção à vegetação dos jardins.

Luísa Teresa Ribeiro
10 Ago 2022

A Catedral de Bragança é fruto da perseverança dos brigantinos ao longo de cerca de 250 anos, sendo um templo onde se torna evidente o diálogo entre a arte e a fé, com obras de nomes sonantes como José Rodrigues ou Ilda David’. A identidade transmontana transparece nas representações e nos materiais, num espaço de vocação universal. Em 1764 a sede da diocese mudou-se de Miranda do Douro para Bragança, sendo transformada em Sé a igreja de S. João, inicialmente pensada como parte de um complexo construído no século XVI para albergar as Freiras Clarissas e posteriormente entregue à Companhia de Jesus para ali instalar um colégio. Em 1768, D. Frei Aleixo escreveu ao Marquês de Pombal revelando a intenção de construir uma nova Sé em Bragança, dando assim início a uma aspiração cuja concretização foi sendo sucessivamente adiada.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]
 





Notícias relacionadas


Scroll Up