Fotografia: DR

Arcebispo de Madagáscar alerta para a corrupção

Em entrevista à fundação ajuda à igreja que sofre.

Redação
10 Ago 2022

O arcebispo de Toamasina, Madagáscar, Désiré Tsarahazana alertou ontem que o país está a deteriorar-se, apontando o dedo à corrupção, mas também à falta de educação e civismo, e lembrou que onde há corrupção há injustiça e não há paz. «Há uma deterioração que está muito ligada à corrupção. Muitas pessoas querem entrar na política para enriquecer o mais rapidamente possível. Há também falta de educação e civismo porque grande parte da deterioração não é económica, mas social. As duas estão ligadas. Se há corrupção, há injustiça; e onde há injustiça, não há paz», disse o cardeal Désiré Tsarahazana, em entrevista à Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS). Numa visita à sede da AIS, o religioso disse que Madagáscar «é um país de grandes contrastes» e, apesar de ter muitos recursos, «está a deteriorar-se».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]
 





Notícias relacionadas


Scroll Up