Fotografia: Francisco de Assis

Seca obriga Alto Minho a tomar medidas para evitar cortes de água

Presidentes de Câmara daquela comunidade intermunicipal reuniram-se com o vice-presidente da Agência Portuguesa do Ambiente.

Francisco de Assis
9 Ago 2022

Os presidentes das Câmaras Municipais do Alto Minho estiveram reunidos ontem na sede da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM), em Ponte de Lima, com o presidente da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) para analisar a situação de seca severa que se regista na região e tomar medidas para minimizar os danos. Na conferência de imprensa que se seguiu, o presidente da CIM Alto Minho assumiu que a situação é «muito grave», mas para já não avança com cortes de água como já acontece em algumas zonas da Galiza. Na conferência estiveram Manoel Batista, presidente da CIM Alto Minho e da Câmara Municipal de Melgaço; e Vasco Ferraz, presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima e vice- -presidente da CIM Alto Minho. Segundo Manoel Batista, para já, o objetivo da reunião foi, por um lado, inteirar-se dos esforços da APA no sentido de gerir e minimizar os danos causados pela falta de precipitação; mas também assumir, em conjunto, medidas para fazer frente à situação, que já é grave e que se prevê que possa ainda piorar, tendo em conta as previsões meteorológicas pouco animadoras até setembro.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]
 





Notícias relacionadas


Scroll Up